Publicado em 8/08/2016 as 5:00pm

Brasileiro suspeito de assassinar a própria filha em MA é preso em Danbury (CT)

Brasileiro suspeito de assassinar a própria filha em MA é preso em Danbury (CT

O brasileiro Walter da Silva, 45 anos, foi preso em Danbury (CT) na última sexta-feira, dia 5, suspeito de ter assassinado sua própria filha, a americana Sabrina Silva de 19 anos, no dia 3 de julho em New Bedford (MA).

Walter teria fugido do estado de Massachusetts para o estado de Connecticut, logo após o crime, quando a polícia quis interrogá-lo sobre o assassinato de sua filha. Segundo informações, esse não seria o primeiro crime cometido pelo brasileiro, ele já tinha outro mandado de prisão por quebra de liberdade condicional, em um crime de agressão ocorrido em Massachusetts no ano de 2002, esse crime teria sido contra sua ex-esposa e mãe de Sabrina. Há relatos que ele chegou a ser deportado, mas conseguiu retornar aos Estados Unidos.

A comunidade brasileira ficou chocada ao saber da possibilidade do pai de Sabrina estar envolvido no caso.

Após receberem denúncias sobre o paradeiro do acusado, onde foi informado que o mesmo estaria trabalhando na obra de uma casa na região de Bridgeport e Danbury, Agentes da US Marshal ligados à Força-Tarefa de busca a Fugitivos Violentos capturaram Walter enquanto ele fazia uma refeição em uma pizzaria na qual costumava almoçar, localizada na Town Hill Avenue, em Danbury.

O brasileiro permanece preso, com fiança estipulada em US$500 mil e terá sua corte na segunda-feira, dia 8. Se condenado, ele poderá pegar mais de 30 anos de prisão.

Entenda o caso

O crime aconteceu em frente à casa da vítima e na época, amigos montaram um pequeno memorial em memória de Sabrina. "Ela era um anjo aqui na terra e agora ela é um anjo no Céu", disse a irmã, Kathy Carrancho.

Ainda conforme as informações coletadas pelos investigadores, a família de Sabrina disse que estava retornando do supermercado quando a jovem foi assassinada.

Sabrina tinha uma filha de dois anos de idade. Eles viviam em um complexo de apartamentos com a mãe da vítima, Lilian Silva, que disse que sua filha era uma menina cheio de vida, gostava de dançar e fazer amigos. "Ela estava na faculdade para tentar pós-graduação, para conseguir um bom emprego, um bom futuro", disse. "Isto é como um pesadelo para mim", chora.

Alguns vizinhos conversaram com a mídia e disseram que ouviram vários disparos de arma de fogo. John Duarte, que vive nas proximidades, disse que correu para o apartamento de Sabrina e informou à mãe sobre a triste notícia.

"Perguntei-lhe: 'Onde está sua filha? Será que ela foi fazer compras?'", disse Duarte. "Ela foi, 'Sim, por quê?' Então eu disse: 'Você precisa vir aqui fora agora.' E então ela viu a filha baleada", continuou.

Vizinhos descrevem Sabrina como uma mãe jovem e inteligente. Carol Almeida disse que ela era uma estudante do Bristol Community College e que falava quatro idiomas. Ela esperava se tornar uma intérprete. "(Ela era a) feliz, uma menina bonita. Uma princesa brasileira", disse Almeida. "E ela ia para a escola, trabalhava e ainda cuidava de sua filha”, disse.

Na época, uma pessoa, que conversou com a redação em caráter de ter o seu nome mantido sob sigilo, disse que há alguns anos a mãe de Sabrina teria denunciado um homem por molestá-la. Ela também acusou o marido de violência doméstica e ele acabou sendo deportado para o Brasil. Anos depois retornou e acabou agredindo-a.

Fonte: Da redação