Publicado em 10/08/2016 as 8:00pm

FANTASTIKON: ficção científica e fantasia

"Destruição Criativa" e seu transporte diário

Em seu livro de 1942, "Capitalismo, Socialismo e Democracia", o economista americano de ascendência austríaca Joseph Schumpeter definiu o termo "destruição criativa" como um impulso fundamental para o motor do desenvolvimento econômico no mundo capitalista.

As inovações, geralmente trazidas ao mercado por meio de novos produtos e serviços, criam mudanças significativas e até proporcionam o surgimento de novos mercados.

Com isso, passa a ocorrer uma renovação da dinâmica capitalista, com a destruição de modelos de negócio e mercados anteriormente dominantes, que são substituídos pelo novo.

Aplicativos-que-andam

Alguns dos maiores rivais da Uber anunciaram um acordo de compartilhamento global que eles afirmam vai cobrir quase 50 por cento da população do planeta, marcando o último passo de uma luta para atrair clientes numa guerra de aplicativos de transporte pessoal ainda liderada pela própria Uber.

Neste acordo o Didi Kuaidi, o GrabTaxi, o Lyft e Ola serão capazes de alavancar e utilizar a tecnologia uma da outra, compartilhar seus recursos de conhecimento de mercado e de empresas locais e, claro, chegar ao cliente final que precise de carona, agora podendo obtê-la até no sistema de “pool”. Os serviços destes parceiros já foram lançados e estão sendo idolatrados pelos usuários.

O objetivo desta aliança é proporcionar aos viajantes uma maior acessibilidade nas viagens sob demanda em qualquer lugar, permitindo aos usuários reservar viagens nos aplicativos uns dos outros.

A parceria global é construída pela "nossa visão compartilhada de reconectar as comunidades através de um melhor meio de transporte", afirmou John Zimmer, co-fundador e president da Lyft.

Cada um dos quatro serviços de viagens on-demand já tem um ponto de apoio existente em vários países. Três dessas empresas operam serviços na Ásia, onde os aplicativos ganham cada vez mais popularidade com o maior consumo de smartphones.

“Ao aprendermos com as inovações e o sucesso dos parceiros, nós podemos construir melhores soluções de mobilidade em nossos respectivos mercados", afirma o co-fundador da Ola e também seu CEO, Bhavish Aggarwal. Ola opera em mais de 102 cidades em toda a Índia, com mais de um milhão de pedidos diários.

"Temos o prazer de ajudar os serviços de oferta de transportes Didi, Lyft e Ola no Sudeste Asiático, onde a diversidade significativa da língua, a cultura e as práticas sociais em toda a região podem ser um desafio para as empresas estrangeiras", disse Anthony Tan, CEO da GrabTaxi, que tem mais de um milhão e meio de passageiros na Malásia, Singapura, Filipinas, Tailândia, Vietnã e Indonésia.

Todas as quatro empresas também enfrentam forte concorrência de Uber, que ainda é o maior app on-demand no serviço de carona no Planeta. Tudo na ordem dos bilhões de dólares. Uma ideiazinha que mudou o mundo.

E você? Que ficou surpreso quando seu celular começou a fotografar, depois enviar textos, depois montar sua agenda e agora é seu artigo mais inseparável?

Seu smartphone hoje é seu melhor amigo ou inimigo, dependendo das escorregadas que você dá no Whasapp, mandando mensagens pra quem a sua mulher (ou marido) não pode saber.

Não deixe que a Destruição Criativa prevista por Joseph Schumpeter destrua seus relacionamentos e tampouco a sua vida de motorista no sul da Flórida. Use com moderação, se teclar não dirija, se dirigir não envie textos.

Fonte: Phydias Barbosa / Brazilian Times