Publicado em 15/08/2016 as 12:00pm

Brasileiro perde a luta contra a meningite

Nilson Greene não resistiu e faleceu neste último final de semana. O brasileiro lutava desde março contra a meningite fungal.

No início de abril deste ano publicamos uma matéria contando a luta de Nilson Greene, que estava internado em um hospital da cidade de Elizabeth, em New Jersey. Na época os médicos ainda não tinham a causa da enfermidade, mas suspeitavam que o brasileiro estivesse com meningite. Após os exames foi comprovada a presença da inflamação no corpo de Nilson.

Casado com Luciana Greene e pai de duas filhas, ele lutou para poder se recuperar, a cunhada Loeny da Silva conversou com nossa redação neste final de semana e disse que ele tinha apresentado melhoras, e que a família estava esperançosa de que ele voltasse para casa.“Ele tinha apresentado melhoras e foi para um Nursing Home, até semana passada quando piorou e foi levado para o Hospital Universitário em Newark-NJ, onde se soube que ele teve outro derrame. O médico disse que ele teria alta em setembro. Ficamos esperando que ele voltasse pra casa, meu cunhado estava melhorando, até tinha ganhado um pouco de peso, porém veio a falecer neste sábado por volta das 11h30. A causa foi meningite fungal. O fungo se espalhou pela corrente sanguínea e pelos ossos”, explica Loeny.

Nilson, chegou a ficar sem fala e sem movimentos, foi então que os médicos não deram mais esperanças para a família sobre a melhora do brasileiro. Ela conta que a irmã esteve ao lado do marido o tempo todo, até o final e que estão gratos por toda a ajuda que receberam da comunidade durante esses meses. “Muitas pessoas ajudaram nossa família neste período, foram diversas doações tanto de dinheiro, cestas básicas, utensílios para serem vendidos e orações. Kaira Costa ajudou muito e o Casa Nova Grill doou um jantar para arrecadar dinheiro para o tratamento e para a família se manter. São inúmeros nomes que queremos agradecer e por isso venho em público demonstrar nossa gratidão a cada pessoa que se dispôs a ajudar. Que isso sirva de exemplo para nossa comunidade, que juntos podemos ajudar o próximo. Infelizmente ele não resistiu, mas nossa gratidão permanece”.

Fonte: Marisa Abel