Publicado em 25/08/2016 as 7:20pm

Catarinense retorna para o Brasil após ficar preso em Pompano Beach (FL)

Após tentar fazer a travessia por Bahamas, brasileiro foi capturado e preso por agentes da Guarda Costeira dos EUA

O jornal Brazilian Times relatou a luta da família do catarinense Arnaldo Brandenburg, depois que ele foi preso por agentes de imigração ao entrar ilegalmente nos Estados Unidos. As tentativas iniciais era para que ele fosse solto e respondesse o processo em liberdade. Mas não foi isso que aconteceu.

Foram meses de muita angustia, até que o brasileiro Arnaldo Brandenburg, natural de Joinville (SC), pudesse finalmente, se reencontrar com seus familiares no Brasil e assim colocar um ‘ponto final’ no sonho que havia se tornado um verdadeiro pesadelo para Arnaldo e sua família.

Após ter o visto americano negado, o catarinense, casado com Morgana Brandenburg, com quem dois filhos, decidiu se arriscar e fazer a travessia de Bahamas para o Estados Unidos, através de coiotes (traficantes de pessoas), quando foi capturado pelos por agentes da Guarda Costeira dos EUA e encaminhado à um centro de detenções do Departamento de Imigração (ICE), onde foi iniciado o seu processo de deportação. Arnaldo permaneceu preso por cerca de 4 meses no do Centro Transitório do Condado de Broward (BTC), em Pompano Beach (FL).

A família estava angustiada, pois mesmo após a audiência, em que o juiz determinava a deportação, por diversas vezes a data do retorno de Arnaldo para o Brasil era alterada, deixando a família sem informação da data exata em que ele retornaria. “Eles (autoridades) disseram que ele seria deportado, mas todos os dias mudam a data, dizendo que ainda não tem a data certa da deportação, pois ainda não está agendada”, relatou Morgana Brandenbur na primeira matéria que o Brazilian Times fez sobre o caso.

Após receber o pedido de ajuda por parte de Morgana, o Brazilian Times entrou em contato com o Consulado Geral do Brasil em Miami para tentar obter informações sobre a situação do brasileiro e pedir o auxílio para que pudessem interferir no caso, já que a esposa e os filhos no Brasil passavam por dificuldades financeiras e até mesmo por problemas de saúde, decorrentes da falta de trabalho e pela ausência de informações sobre Arnaldo. Após informarmos ao Consulado, eles nos retornaram afirmando que iriam verificar o processo e entrariam em contato para atualizar as informações para a esposa no Brasil.

Na semana passada o brasileiro, finalmente, teve seu processo de deportação finalizado e conseguiu retornar para os braços da família em Joinville (SC).

Fonte: Da redação