Publicado em 26/08/2016 as 2:00pm

Com medo de ser deportada e se separar do filho, brasileira pede ajuda

A brasileira corre contra o tempo para vender as rifas de equipamentos eletrônicos e assim juntar o dinheiro para pagar às custas da ação

Mãe de duas filhas, em 2007 a mineira de Uberaba, Lidiane Cristina Lucio, 36 anos, sonhando com um futuro melhor, tentou entrar ilegalmente nos Estados Unidos pela primeira vez. Após ser presa pela imigração, ao tentar fazer a travessia pelo México, ela entrou com pedido de ‘Asilo Político’, pois sofria ameaças no Brasil. No ano de 2008, com o processo ainda em andamento, Lidiane engravidou e teve seu terceiro filho, desta vez um menino. Com medo de ser deportada, ela não compareceu à uma das audiências que havia sido agendada. Passaram-se três anos e ela teve que retornar ao Brasil, devido a alguns problemas familiares.

Lidiane recomeçou sua vida no Brasil ao lado dos três filhos, porém o menino teve problemas de adaptação e a mineira resolveu arriscar novamente e voltar para os EUA. Em 20 de novembro de 2015, Lidiane, dessa vez na companhia do filho, já com sete anos, mais uma vez foi detida pelos agentes de imigração. “De lá mesmo eles queriam me deportar. Acabaram me colocando o GPS (sistema de monitoramento) de um modo muito limitado, pois não me deram permissão para trabalhar. Tive que entrar com o pedido depois”, relata. Ela conta ainda que somente mês passado foi tirado o GPS, ela conseguiu a permissão de trabalho e o direito de tirar a habilitação, mas que periodicamente ela tem que se apresentar em Burlington (Massachusetts) e semanalmente ela recebe a visita de um agente do ICE (Immigration and Customs Enforcement).

No dia 10 de agosto Lidiane, que atualmente mora em Lowell (Massachusetts), foi mais uma vez a Burlington para se apresentar à imigração, dessa vez ela foi na companhia não só do filho, mas também de um pastor que foi para auxiliá-la na comunicação. Para sua surpresa, ao chegarem no local, Lidiane foi recebida com um par de algemas para prendê-la. “Foi horrível. Queriam me prender, me separar do meu filho. Ele entende bem o inglês, ouviu tudo que os agentes falaram e começou a chorar, dizendo que não queria ficar longe de mim. O pastor me ajudou e conseguimos que não me prendessem ali naquele momento, porém me deram um prazo de pouco mais de duas semanas para me apresentar com a presença de um advogado”, contou Lidiane para a redação do Brazilian Times. “O advogado terá que entrar com o pedido para que pare a minha ordem de deportação, caso contrário, serei deportada e meu filho não poderá retornar ao Brasil comigo. Eles me disseram que por ter colocado a vida dele (que é um cidadão americano) em risco, tentando entrar ilegalmente no país, não poderei levá-lo de volta ao Brasil comigo”, conta.

A brasileira relata ter entrado em contato com diversos advogados de imigração que não aceitaram entrar na causa. “Eles me disseram que como já está assinado pelo juiz, e muito difícil reverter, mas eles (imigração) me deram esses dias para eu conseguir uma defesa e assim, quem sabe, ganhar cerca de dois ou três anos para provar que sou uma boa mãe. Tenho que me apresentar com a defesa antes do dia 2 de setembro”, conta. Após várias tentativas, ela conseguiu alguém para fazer sua defesa, porém os custos com a ação ficarão em US$ 12 mil. “Neste sábado terei que pagar US$2.500 e não tenho esse valor para dar de entrada. Graças a Deu, o Ronaldo da Absoluto Cable, me deu dois equipamentos novos para eu rifar e juntar esse dinheiro para a advogada: uma câmera de carro e mais quatro DVR de segurança residencial”, comemora.

Agora a brasileira corre contra o tempo, anunciando nas comunidades do Facebook e divulgando entre amigos a venda da rifa. Até o fechamento desta edição, Lidiane já havia conseguido vender 28 dos 136 números de rifa. “Cada rifa custa $20 e a pessoa que comprar estará concorrendo a esses equipamentos. O sorteio será feito no dia 22 de setembro, ao vivo pelo Facebook do Ronaldo do Absoluto Cable. Por favor, quem puder me ajude! ”.

Para entrar em contato com a Lidiane e comprar as rifas ou fazer uma doação, ligue para (978) 942 0424.

Fonte: Da redação