Publicado em 31/08/2016 as 7:30am

Brasileiro que agrediu policiais é conhecido como "Frankenstein"

Depois que foi colocado na viatura policial, o brasileiro ainda riu em tom de deboche dos policiais feridos, dizendo que eles "deveria aprender Jiu-Jitsu".

Desde segunda-feira (29), a comunidade brasileira está alvoroçada com o caso do brasileiro que agrediu dois policiais após eles tentarem prendê-lo. Segundo as informações já divulgadas no site do Brazilian Times, o caso foi registrado na cidade de Framingham (Massachusetts), no domingo, e o acusado ainda riu dos oficiais enquanto um deles entraram em uma ambulância para ser medicado.

Trata-se do brasileiro Marcus Bino, 29 anos, bastante conhecido na comunidade como "Frankenstein". Segundo as informações, ele teria sido denunciado pela sua esposa por violência doméstica e como isso é considerado um crime, a polícia foi acionada.

Uma fonte, que pediu para não ter o seu nome divulgado, afirmou que Marcus é natural de Minas Gerais e vendia suplementos alimentares. Ele também teria participado de uma equipe de Jiu-Jitsu de uma academia em Framingham. Ele tem dois filhos, sendo uma menina de oito anos e uma de três anos. “Além disso, após ser preso, ele pagou a fiança e já foi visto com a mulher que o filmou e o denunciou por agressão”, disse.

AS AGRESSÕES

No vídeo é possível ver o quanto o brasileiro resiste à prisão e quando os dois policiais, um homem e uma mulher, tentam dominá-lo, o brasileiro grita que é mais forte que os dois e grita para ser solto. Assim que os policiais o liberam parcialmente, o acusado começa a agredi-los.

Segundo os relatórios policiais apresentados ao Tribunal Distrital de Framingham, nesta segunda, o brasileiro teria dito que lutou “porque não queria que alguém menor que ele o prendesse.”

Os oficiais James Seto e Samya Alves (conversou em português com o brasileiro durante a prisão) foram ao apartamento na Universal Street, por volta das 02:45 a.m. de domingo, onde supostamente havia uma festa. Eles foram atender ao chamado de violência doméstica. Uma vez lá, a suposta vítima, esposa do brasileiro, disse à polícia que o companheiro teria lhe desferido vários socos contra e por isso pediu a ajuda de um amigo do sexo masculino.

Quando os policiais foram falar com o brasileiro, ele entrou em uma posição de combate e disse: "Vamos lá", e afirmou que ele "era maior" do que os dois, segundo a polícia escreveu no relatório.

Os policiais tentaram algemá-lo, mas todos os três acabaram no chão. Eles lutaram durante 10 minutos, com o brasileiro desferindo vários socos no rosto de um dos policiais. Em dado momento, o acusado empurrou Seto contra uma tabela, relatou a polícia.

Outros policiais chegaram e um deles usou um Taser (máquina de choque) para conter a agressividade do brasileiro. Mesmo após tomar a descarga elétrica, ele lutou até que os policiais finalmente conseguiram algemá-lo.

De acordo com o relatório, a policial ficou com um olho roxo e várias escoriações no rosto, no braço e uma "falta de movimento completo em seu braço esquerdo". Seto reclamou de dores no peito, dificuldade para respirar e tinha hematomas no rosto e escoriações nos braços.

Depois que foi colocado na viatura policial, o brasileiro ainda riu em tom de deboche dos policiais feridos, dizendo que eles “deveria aprender Jiu-Jitsu”.

O brasileiro foi indiciado por duas acusações de agressão contra um policial, lesão corporal, agressão com arma perigosa, violência doméstica, perturbação da paz, conduta desordeira e intimidação de uma testemunha.

Ele também já tinha um processo expedido pelo Tribunal Distrital de Framingam por agressão doméstica e lesão corporal. Marcus deve retornar ao Tribunal no dia 16 de outubro para uma conferência de pré-julgamento. Ambos os agentes foram tratados e liberados no MetroWest Medical Center, em Framingham.

Veja o vídeo através do link goo.gl/W3Cocb

Fonte: Da redação