Publicado em 31/08/2016 as 6:00pm

Caso de brasileiro que agrediu policiais gera "preconceito" na comunidade

Um internauta brasileiro chegou a falar que "não se junta com esta raça nojenta", se referindo aos seus compatriotas

Na segunda-feira (29), uma notícia agitou a comunidade brasileira em Massachusetts. Segundo as autoridades, o brasileiro Marcus Bino foi denunciado pela sua namorada por violência doméstica. Dois policiais se dirigiram até ao apartamento onde ele estava e lhe deram voz de prisão. Mas neste momento, o acusado resistiu e começou a agredir os oficiais sob a alegação de que queria provar que era mais forte que eles.

Depois de uma intensa luta e o brasileiro desferir vários golpes nos dois policiais, ele foi contido e levado preso. Pagou uma fiança e foi liberado para responder o processo em liberdade.

Mas a história não parou por aí e somente a publicação do vídeo na página do Facebook deste jornal alcançou, até o fechamento desta edição, 245 mil pessoas, 110 mil visualizações, 1130 compartilhamentos e 796 comentários. O mais curioso foi que as pessoas deixaram o caso de lado para promover uma onda de “racismo” e “preconceito” contra a comunidade brasileira.

Do outro lado, algumas pessoas tentavam defender o brasileiro, afirmando que ele é uma boa pessoa, pai de família e trabalhador. “Mas isso não justifica a atitude dele em agredir duas mulheres (a policial e a sua namorada) e um homem (o policial)”, comentou um internauta.

O preconceito de brasileiros contra brasileiros ficou eminente nesta publicação. Um dos internautas, identificado por Junior Alencar (supostamente de Rio das Ostras, no Rio de Janeiro, e que mora em Miami – FL, segundo o seu Facebook) escreveu o seguinte comentário: “Brazilian trash... é por isso que eu não me misturo... ninguém é melhor do que ninguém, faço de conta que não conheço esta gente”.

Em seguida, uma internauta identificada por Giovanna Lemos concordou com Junior e disse que ele “está certo em não se misturar”. Ela ainda generalizou dizendo que “os brasileiros perderam a noção de tudo e as mulheres são vulgares demais e acham isso lindo. Os homens são podres, desrespeitam tudo e todas”, mas no final ela muda o discurso e diz “que toda regra tem exceção e que tem um excelente grupo de amigos brasileiros, pessoas educadas que se comportam bem em qualquer lugar e circunstância”.

Rebatendo a afirmação de Junior, o internauta Matos Carlos questionou “porque ele diz que não se mistura com a comunidade brasileira, mas está em uma página brasileira comentando sobre uma ação de um brasileiro. “Além de se misturar, está julgando falando que os brasileiros não respeitam as leis”. Ele termina sua posição falando que “mora nos EUA há 11 anos e há cinco, é cidadão e que não fala do que tem nojo para não lhe chamarem de homofóbico”.

Junior ainda fala com uma internauta brasileira perguntando se ela é do Ceará e em seguida diz para a pessoa “evoluir e esquecer a mentalidade do terceiro mundo”. Em um comentário final, ele pede para que outro internauta evolua ou “volte para a roça”.

Fonte: Da redação