Publicado em 21/09/2016 as 7:00pm

Festival de Cinema Brasileiro acontece este mês em Miami

O Festival, propriamente dito, começou dia 17 e segue até 24 de setembro.

Para comemorar os 20 anos de criação, o Brazilian Film Festival (BRAFF), em Miami (Florida), está realizando uma exibição de alguns filmes brasileiros. Esta celebração é organizada pelas diretoras e fundadoras Adriana L. Dutra, Cláudia Dutra e Viviane B. Spinelli. Elas selecionaram algumas obras especiais que estão sendo exibidas em 3 mostras: Braff Summer Series, Mostra Competitiva e a Mostra Diretoras Brasil. Esta última com o objetivo de mostrar o crescimento feminino no audiovisual.

O BRAFF Summer Series apresentou filmes no O Cinema de Miami Beach todas as terceiras quintas-feiras dos meses de junho, julho e agosto. Uma oportunidade única de assistir a três filmes ícones brasileiros, que estiveram no Circuito Inffinito de Festivais. Foram eles: “O que é isso companheiro?” de Bruno Barreto, “A Oeste do fim do mundo” de Paulo Nascimento e “Quanto tempo o tempo tem”, de Adriana Dutra.

O Festival, propriamente dito, começou dia 17 e segue até 24 de setembro. Na abertura foi exibido o filme “Encantados” de Tizuka Yamasaki, projetado no New World Symphony Soundscape Park. A diretora Tizuka Yamasaki e a personagem principal do filme, “Pajé Zeneida”, estavam presentes.

A programação seguiu na Miami Beach Cinematheque com a realização da Mostra Paralela do BRAFF Miami e a exibição de grandes títulos: Chico Artista Brasileiro, documentário sobre o cantor e compositor Chico Buarque e Pequeno Dicionário Amoroso 2, a sequência do filme que foi o vencedor do BRAFF Miami em 1997.

Dia 21 de setembro, o Colony Theater abre suas portas para a Mostra Competitiva do BRAFF Miami, recebendo produções inéditas, sucessos de público e crítica. Na noite de encerramento (24 de setembro) será anunciado o vencedor do prêmio “Lente de Cristal” (prêmio de melhor filme pelo público) e em seguida a exibição do filme “Nise: O Coração da Loucura”, com uma homenagem à atriz Glória Pires.

Fonte: Da redação