Publicado em 29/09/2016 as 11:51pm

Única morte em acidente de trem em NJ é brasileira, diz jornal

A família morava na Flórida e se mudou para Hoboken no início de agosto.

Fabíola Bittar de Kroon, 34, foi identificada como a única vítima de um acidente de trem que deixou ao menos outras 108 pessoas feridas, na manhã de quinta-­feira (29), em Hoboken (New Jersey). O jornal "New York Post", que falou com a mãe de Fabíola, informa que a vítima é brasileira. Essa informação não foi divulgada pelas autoridades americanas. O Itamaraty disse não ter tido uma confirmação oficial ou ter sido contatado pela família da vítima.

Ela deixa uma filha pequena, que estava na creche, e o marido, que trabalhava fora da cidade onde aconteceu a tragédia, Hoboken.   Natural de Santos (São Paulo), Fabíola havia trabalhado como advogada na empresa de softwares SAP até o início do ano. 

"SAP está profundamente entristecida e abalada pela notícia do acidente de hoje em Nova Jersey", disse a companhia em uma nota nesta quinta. "Podemos confirmar que Fabíola Bittar De Kroon foi nossa funcionária em nosso departamento legal no Brasil mas deixou nossa empresa no início do ano. Expressamos nossas mais profundas condolências à sua família, a seus amigos e a todos impactados pelo trágico evento de hoje."

A família morava na Flórida e se mudou para Hoboken no início de agosto. 

No mês passado, Fabíola havia postado no grupo "Mamães de Hoboken", pedindo dicas sobre a vida local, de acordo com o canal NBC4. "Mamães, estamos planejando uma viagem de um dia à praia nesse fim de semana com o transporte público", escreveu ela em 5 de agosto. "Acabamos de nos mudar para NJ, então não temos ideia de que praia seria legal aqui por perto (estamos com um bebê de 18 meses. Alguma dica?"

Fabíola não estava no trem — ela esperava na plataforma quando parte do teto da estação ferroviária caiu após o impacto e foi atingida por destroços.

O "New York Post" disse que a mãe de Fabíola, Sueli, que mora no Brasil, recebeu uma ligação do marido de Fabíola, o holandês Daan de Kroon. Ele telefonou para contar as más notícias por volta das 2:30 p.m.

Segundo o jornal, a mãe da vítima disse que a família não sabia por que Fabíola estava na estação de trem naquele momento, mas que possivelmente era porque o casal procurava um apartamento mais perto da cidade e com uma opção melhor de escolha para a filha, Julia, de 1 ano.

A criança, continua o "New York Post", estava na creche na hora do acidente, e o marido, viajando a trabalho. "Estamos muito, muito tristes", afirmou Sueli ao jornal.

Ela era uma advogada corporativa com "sólida experiência no campo legal", de acordo com seu perfil do LinkedIn, listava experiências profissionais em empresas como LG Eletronics e o Itaú Unibanco, como trainee. Colegas lotavam seu perfil com boas recomendações para a "profissional dedicada" com quem qualquer um "ficaria feliz de trabalhar junto".

Segundo a mãe da vítima relatou ao jornal, ela se mudou de Santos para ficar um ano em Hoboken e acompanhar Daan, que trabalha numa companhia de Manhattan. Sua página no Facebook é recheada de fotos com o marido, que já trabalhou como diretor de exportação da marca de cachaça Ypióca. Numa delas, os dois mergulham e fazem sinal de "ok" para a câmera.

As causas do acidente, que deixou também 114 feridos, ainda estão sendo investigadas.

Fonte: Da redação