Publicado em 30/09/2016 as 6:00pm

Republicanos questionam como mulher conseguiu cidadania dos EUA tendo acusações na Venezuela

Em seus depoimentos, Alicia afirma que Trump a humilhou depois que ela ganhou o título de Miss Universo

A direção máxima do Partido Republicano questionou como Alicia Machado, uma ex-rainha da beleza venezuelana, que disse que Donald Trump a humilhou, conseguiu se tornar cidadão dos Estados Unidos este ano. A indagação se faz porque, segundo os republicanos, ela tem um passado duvidoso, com ameaças a um juiz e envolvimento em um tiroteio.

Alicia não foi condenada em nenhuma destas condenações, mas a sua credibilidade como mensageira “anti-Trump” foi colocada sob escrutínio após a candidata Democrata Hillary Clinton ter destacado a história da moça durante o debate presidencial de segunda-feira, dia 26.

A campanha democrata organizou, no dia seguinte, uma conferência de imprensa para que Alicia continuasse os seus ataques. “Hillary usando a moça para denegrir a imagem de Trump é sinal de que o sistema está quebrado”, disse o Presidente do Partido Republicano no Arizona, Robert Grahan. “Ela ameaça matar um juiz, é suspeita de se envolver em um tiroteio, tem relações com o chefe do cartel de Drogas, Beltrán Leyval, e ainda conseguiu se tornar cidadã dos EUA?”, indaga.

Registros mostram que Alicia foi vista dirigindo um carro, junto com o namorado, saindo de uma igreja onde tiroteio. O rapaz foi indiciado por tentativa de homicídio, o juiz do caso foi à mídia relatar que sofreu ameaças de morte por parte da mulher.

Machado foi indaga pela mídia norte-americana sobre sua posição em relação aos questionamentos do partido Republico. “Eu tenho um passado. Claro. Todo mundo tem um passado. E eu não sou uma santa”, disse ela ao âncora da CNN, Anderson Cooper. “Quando tudo aconteceu na Venezuela, estava errado, era outra especulação sobre minha vida porque eu sou uma pessoa muito famosa no meu país, porque eu sou uma atriz lá”, continuou.

Em seus depoimentos, Alicia afirma que Trump a humilhou depois que ela ganhou o título de Miss Universo, em 1996, evento que pertence ao empresário bilionário. “Ele me chamou de ‘Miss piggy’ porque engordei alguns quilinhos e me fez participar de sessões públicas de treino e ginástica e disse ao povo que eu estava tentando voltar a forma”, ressaltou.

Alicia afirma, ainda, que esta atitude de Trump prejudicou a sua autoestima. Ela tornou-se cidadã dos Estados Unidos em agosto e disse que está ansiosa para votar contra Trump.

Fonte: Da redação