Publicado em 7/10/2016 as 12:00pm

Danos causados por brasileiros em estádio de Lawrence pode chegar a $1 milhão

Novamente o prefeito ressaltou que está indignado e afirmou que fará com que os organizadores paguem por todas as despesas.

Na terça-feira (04), o prefeito Dan Rivera, da cidade de Lawrence (Massachusetts), participou de uma reunião com vereadores e pediu a liberação de US$875 mil para substituir o gramado e a pista de atletismo do Veterans Memorial Stadium. O local, segundo as autoridades, ficou todo coberto de lixo e danificado após um show brasileiro ocorrido no domingo (02).

O prefeito disse que pior que os danos, foram os cacos de vidro espalhados pela grama, o que segundo ele, tornaria impossível usar o campo novamente. "na manhã segunda-feira, nós acordamos com uma visão terrível no nosso estádio ", disse o político aos vereadores.

Novamente o prefeito ressaltou que está indignado e afirmou que fará com que os organizadores paguem por todas as despesas.

Os vereadores recusaram-se a declarar a situação de emergência e liberar o dinheiro imediatamente depois que Modesto Maldonado e Nilka Alavarez-Rodriguez alegou que cabe a Prefeitura arcar com a reconstrução do gramado e da pista, utilizando os acumulados excedentes nos orçamentos anteriores e depois recuperar o dinheiro através do processo contra a produtora.

Os vereadores votaram, por unanimidade, para enviar o pedido de Rivera a uma comissão que revisará e marcará uma audiência pública sobre o tema para o dia 18 de outubro.

Maldonado também sugeriu que a administração poderá arcar com parte da culpa pela destruição do gramado e ressaltou que pediria aos demais vereadores para nomear uma comissão para investir “onde houve o erro, quem assinou o contrato e quem era suposto fornecer a supervisão do local”.

Em seu depoimento aos vereadores, o prefeito disse que a Cidade “fez tudo que deveria ser feito processualmente”, incluindo exigir que a Floripa Productions, empresa que promoveu o evento, garantisse a proteção do estádio contra danos e contratasse 20 policiais para manter a segurança do local.

Ele informou que o contrato assinado pela Floripa com o Município exigia um seguro de até US$750 mil em danos para o estádio e outro de US$1 milhão para vender bebida no local. O prefeito ressaltou ainda que a licença de bebida expedida pelo “Licensing Board” permitia apenas vinho e cerveja.

O prefeito reafirmou que advogados da Prefeitura preparam uma ação para cobrar o valor dos seguros e disse que a Cidade também vai procurar uma liminar para proibir que a Floripa gaste o dinheiro arrecadado no evento, para que ele possa reivindicar o dinheiro.

Fonte: Eagle Tribune

Top News