Publicado em 12/10/2016 as 12:00pm

CANCELAMENTO do Miss Brasil USA revolta candidatas e Misses pedem indenização

Sônia Rivelli, organizadora do concurso em Las Vegas, alegou que a data do evento foi mudada para 29 de abril de 2017

Através de um vídeo publicado por uma candidata à etapa nacional do Miss Brasil USA mostrou a indignação dela e das demais concorrentes em relação ao cancelamento do evento. Bianca Silva fala do trabalho que cada um teve para se preparar para o concurso. "Foram meses de dedicação na esperança de estar aqui e fazer deste o melhor dia das nossas vidas. Mas não foi isso que aconteceu", relata.

Segundo ela, quando as candidatas chegaram ao local, foram informadas de que o hotel "supostamente" destinado ao evento nunca recebeu pedido de reservas. Bianca ainda fala que algumas concorrentes tinham sido orientadas a cancelar seus voos por causa do furacão Matthew. Mas algumas descobriram o cancelamento somente quando chegaram ao hotel anunciado pela organização onde seria o desfile. "A única reserva que tinha em nome da organização era para abril de 2017", disse. "Os aeroportos da Florida permaneceram abertos nos dias 7 e 8 e mesmo assim o evento foi cancelado", continuou.

No vídeo, Bianca fala diretamente aos organizadores e pede que eles reparem os danos causados às concorrentes e seus familiares que se deslocaram até o local sem serem informados sobre o cancelamento. Ela ainda pede indenização adequada a todas a misses afetadas por esta situação. "Nós exigimos ser tratadas com respeito e honestidade e esperamos entrar em um acordo mútuo junto com a organização do evento para que possamos continuar a inspirar e fortalecer as mulheres brasileiras. Ser Miss não é apenas usar uma faixa e uma coroa. Nós representamos nosso país e nossa cultura. Nós ajudamos nosso povo e trazemos esperanças onde é preciso e não aceitamos ter os nossos sonhos destruídos por ninguém.

Ainda segundo informações, 25 Misses brasileiras de vários estados se deslocaram até o local e encontraram as portas fechadas, sem desfile, sem comida e sem o reembolso pelas despesas. Algumas delas conseguiram retornar tão logo souberam do cancelamento do evento, organizado por Cacá Santos, Sônia Rivelli, Madgalena Silveira e Rodrigo. Mas algumas tiveram que ficar a espera de ajuda por parte dos familiares.

Em outro vídeo publicado, é possível ver as candidatas sentadas no chão e chorando pela situação em que encontrava. Inclusive a polícia foi chamada para permanecer no local até que tudo se acalmasse.

Para assistir aos dois vídeos, acessem:

Vídeo 1: goo.gl/Vuv8hO

Vídeo 2: goo.gl/5cJQBT

Os organizadores respondem

Sônia Rivelli, organizadora do concurso em Las Vegas, alegou que a data do evento foi mudada para 29 de abril de 2017, dia em que completará 25 anos. A organizadora detalhou que as participantes não sabiam previamente do cancelamento da competição, pois ela queria que as jovens conhecessem a “grandeza e o glamour” que o concurso terá em 2017. Ainda segundo ela, outro fator para o cancelamento da competição foi o fato de, com a passagem do furacão Matthew pela Flórida, as candidatas, jurados e apresentador no estado não puderam embarcar no voo, pois os aeroportos estavam fechados e também não faria sentido comemorar face à uma possível tragédia.

“Não houve nada fraudulento. Isso é uma palavra muito forte. Nós decidimos mudar de data porque o concurso foi criado em 1992 e completará 25 anos em 2017”, disse Rivelli.

Sônia alegou que algumas entre as aproximadamente 20 jovens que estavam em Las Vegas não aceitaram o cancelamento do evento e, então, gravaram o vídeo e o enviaram às candidatas na Flórida. Ela acrescentou que ofereceu a passagem de volta às jovens que quiseram retornar aos seus estados e que elas foram reembolsadas por qualquer despesa extra. Ainda na entrevista, Rivelli reconheceu ter sido um erro não ter avisado as participantes com antecedência. Apesar do cancelamento, foi realizado durante a semana o concurso Miss Biquini, mesmo sem a presença das candidatas da Flórida. O concurso de biquíni não é obrigatório, portanto, depende da vontade de cada candidata, explicou a organizadora.

“Se eu errei, eu peço desculpas. Eu somente queria que elas vissem a mudança de ambiente”, disse ela.

Cacá Santos, outro organizador, declarou que a polêmica online foi criada por uma candidata que reside na Flórida e outras duas em New Jersey, as quais teriam ficado inconformadas com a transferência de data do evento.

“O concurso não foi cancelado e sim transferido. Eu não vejo o porquê de tanta revolta. Tudo foi explicado. Por que chamaram a polícia? Elas terão que provar o que está acontecendo”, disse Santos, detalhando que as candidatas desse ano terão participação garantida no evento de 2017, com as novas finalistas.

Cacá e Sônia adiantaram que já foi contratado um advogado, que reunirá provas e levará o caso à justiça. “As pessoas estão criticando, mas não sabem a verdade. O concurso de biquíni fica a critério das candidatas”, disse ele. “A tempestade na Flórida impediu que mais de 10 pessoas que participariam do concurso viessem. Como iríamos celebrar em meio à uma situação dessas?! Essa não é a cara do Miss Brasil”.  

Os organizadores disseram que não poderiam oferecer mais detalhes sobre o caso, pois ainda tinham que conversar com o advogado. 

Fonte: Da redação