Publicado em 24/10/2016 as 12:30am

Começam audiências sobre acidente de trem que matou brasileira

Fabíola Bittar de Kroon havia se mudado recentemente para os EUA com o marido, o holandês Daan de Kroon, e a filha de 1 ano

Na quinta-feira (20), a Assembleia Estadual concedeu permissão ao Comitê Judiciário para emitir intimações, enquanto os legisladores começam a investigar a NJ Transit depois do acidente em Hoboken que resultou na morte da brasileira Fabíola Bittar de Kroon, de 34 anos, natural de Santos (SP). A Câmara baixa da Legislatura de New Jersey votou 71 contra 0 na aprovação do projeto de lei AR-185, o qual obriga a presença e depoimentos de testemunhas e na redação dos documentos relacionados a organização financeira da NJ Transit e suas práticas de operação.

O Comitê se reuniu na manhã de sexta-feira (21) com o Comitê Fiscalizador do Senado Estadual para analisarem o acidente, que matou Fabíola e feriu outros 108 passageiros na estação de trem Lackawanna, às margens do rio Hudson, na divisa de New Jersey e Nova York. “Nós não seremos frívolos com isso”, adiantou o Deputado Estadual John McKeon (D-Essex), também chefe do painel. “Isso envolve segurança”.

Segundo o jornal Brazilian Voice, os legisladores foram convidados pelos representantes do NJ Transit e especialistas em transportes para testemunharem sobre verba, operações e preocupações com segurança no órgão. Outro foco também será a tecnologia de controle dos trens.

O comissário estadual dos transportes, Richard Hammer, compareceu na sexta-feira (21). O acidente ocorreu em 29 de setembro, quando um trem chocou-se contra a plataforma de concreto em Hoboken. Fabíola Bittar de Kroon estava na plataforma e morreu após ser atingida pelos destroços.

O Conselho Nacional de Segurança nos Transportes informou que o trem corria a 21 mph, mais que o dobro do limite de 10 mph, quando se chocou contra os obstáculos de aço instalados no final dos trilhos na estação. A entidade ainda investiga o ocorrido e poderá demorar até 1 ano para que os resultados sejam divulgados.

Os comitês da Assembleia e do Senado também realizaram reuniões na sexta-feira (21).

Fonte: Da redação