Publicado em 7/11/2016 as 12:00pm

Brasileiro acusado de extorsão é preso na Carolina do Sul

De acordo com queixa criminal, Eliezer Martins de Souza, 39, enfrenta acusações de chantagem

De acordo com informações publicadas do jornal  “The Post and Courier”, uma operação levou à prisão um cidadão brasileiro que, supostamente, tentou extorquir US $ 100 mil de dois empresários locais na semana passada em um plano que incluía um fictício empregado federal desonesto.

Um agente especial do Departamento do Tesouro norte-americano disse em depoimento na terça-feira (1), que Eliezer Martius de Souza, 39, foi detido em North Charleston (Carolina do Sul) na sexta-feira. Ele enfrenta acusações de chantagem, de acordo com uma queixa criminal apresentada no Tribunal de Distrito dos EUA.

De acordo com o arquivamento, de Souza entrou em contato com os dois empresários na semana passada (27 de outubro) procurando US $ 100.000 em troca de " fazer seu suposto problema com o Internal Revenue Service desaparecer".

Ele informou que era um informante para um agente do IRS identificado somente como "Sr. Brown ". De Souza disse que seu suposto parceiro estava preparado para buscar acusações de lavagem de dinheiro contra eles, a menos que o dinheiro fosse pago "para fazê-lo desaparecer ".

Magistrado Bristow Marchant disse em audiência, na última quarta-feira (2), que os investigadores determinaram que "Brown não é realmente um empregado do Internal Revenue Service."

Os agentes do Tesouro entrevistaram os empresários, que são conhecidos da indústria da construção, separadamente em 26 de outubro. Um deles disse conhecer Souza da comunidade local e um restaurante que eles freqüentavam, mas eles não eram amigos, de acordo com o Affidavit.

De Souza compartilhou histórias conflitantes sobre o dinheiro. Ele disse a um dos donos de negócios que ele não conseguiria nada fora do negócio, enquanto dizia ao outro que ele deveria receber US $ 25.000, com o resto indo para Brown e dois outros indivíduos não identificados.

Os proprietários pediram uma reunião cara-a-cara com o agente da Receita Federal, mas nunca o conheceram. Sua única interação direta foi um telefonema em uma reunião de 26 de outubro com de Souza.

Os investigadores monitoraram duas conversas telefônicas subseqüentes entre os empresários e de Souza, que queriam o dinheiro envolto em planos de construção. Um deles disse que iria deixar um pagamento parcial de US $ 50.000 na parte de trás de sua caminhonete.

Eles pegaram Souza em causa provável quando ele veio para deixar o dinheiro, cerca de 45 minutos mais tarde. Souza renunciou a seu direito a uma audiência de detenção quarta-feira (2), e permanece na cadeia.

Fonte: Da redação