Publicado em 16/11/2016 as 1:51pm

"Polícia de Los Angeles não ajudará a deportar imigrantes sob as leis de Trump", disse chefe de polícia

O medo entre os imigrantes e suas famílias tem aumentado em todo o país após a eleição de Trump

O chefe do Departamento de Polícia de Los Angeles (LAPD, sigla em inglês), Charlie Beck, disse na segunda-feira (14) que ele não tem planos de mudar a posição em relação à imigração, apesar da promessa do presidente eleito Donald Trump de endureceras leis federais de imigração e deportar milhões de pessoas quando assumir o cargo.

Por décadas, a LAPD distanciou-se das políticas federais de imigração e proíbe seus policiais de abordar alguém somente para saber se ele está nos Estados Unidos legalmente. Esta determinação cumpre uma ordem especial assinada pelo então chefe Daryl Gates, em 1979.

Durante o mandato de Beck, o departamento parou de entregar pessoas presas por pequenos delitos para agentes de imigração e se negou a cumprir os pedidos federais para deter imigrantes elegíveis para deportação. Ele afirmou que pretende manter a mesma política que vem sendo adotada há anos em Loas Angeles. “Eu não pretendo fazer nada diferente. Não vamos nos envolver na aplicação da lei com base no status de imigração de alguém. Não vamos trabalhar em parceria com o Homeland Security para promover deportações. Esse não é o nosso trabalho”, disse.

O medo entre os imigrantes e suas famílias tem aumentado em todo o país após a eleição de Trump para presidente. O Republicano fez da imigração ilegal uma questão central da sua campanha, prometendo construir um muro ao longo da fronteira com o México, deportar pessoas que estão ilegalmente no país e cancelar os programas criados por Obama para proteger jovens da deportação.

Em Loas Angeles, autoridades tentaram aliviar algumas destas preocupações, sinalizando o seu apoio aos imigrantes que moram na cidade. Em uma reunião na sexta-feira, dia 11, na sede da Coalizão pelos Direitos dos Imigrantes na cidade, o prefeito Eric Garcetti afirmou que Los Angeles questionaria as decisões de Trump sobre imigração.

Mais de um milhão dos cerca de 11 milhões de imigrantes que vivem no país estão no Condado Los Angeles, de acordo com o Migration Policy Institute. “Se o primeiro dia, como presidente, vemos algo que é hostil ao nosso povo, hostil à nossa comunidade, mau para a nossa economia, ruim para a nossa segurança, vamos falar, falar, agir e agir”, disse o prefeito.

O prefeito garantiu que a LAPD continuará a cumprir a ordem especial assinada por Gates, a qual impede os policiais de entrar em contato com uma pessoa apenas para determinar o staus imigratório dela. “Nossos policiais não andam por ai perguntando por papéis, nem deveria. Este não é o papel das autoridades locais”, finalizou.

Fonte: Brazilian Times