Publicado em 18/11/2016 as 12:56pm

Jovem recém casado morre ao tentar travessia pelo México

Jefferson entrou em contato com a família no último sábado, dia 12, informando que estava aguardando para fazer a travessia naquela mesma tarde

Aos 20 anos de idade o lavrador mineiro, Jefferson Eduardo, nascido em Tarumirim e morador de Plautino Soares, município de Sobrália, tinha o sonho de uma vida melhor. Recém casado, ele decidiu tentar a arriscada travessia pelo México para vir para o Estados Unidos na esperança de dar melhores condições de vida para a sua esposa, a também mineira Tainá Assis. Jefferson vinha em direção a Boston, onde tem parentes e amigos.

No último sábado, dia 12, ele entrou em contato pela última vez com seus familiares, através do aplicativo WhatsApp, para avisar que ainda naquela tarde faria a travessia pelo México. Enviou uma foto e um áudio. Jefferson estava na companhia de quatro pessoas, sendo duas delas amigos dele. Na quarta feira (16), a família soube que esses dois amigos estavam presos e eles informaram que não sabiam do paradeiro de Jefferson, mas acreditavam que ele tivesse sido levado em outro carro pelos agentes da imigração e que também estivesse preso.

No mesmo dia o telefone de Luciano Oliveira, tio de Jefferson, tocou. Era uma pessoa que se identificou como sendo do resgate, informando que um corpo havia sido encontrado no rio de New Laredos (Texas), e que aquele número de telefone se encontrava junto a roupa. Luciano, assim como os demais familiares, ficou desesperado com a possibilidade do corpo encontrado ser do sobrinho e pediu para que lhe enviassem uma foto para identificação. “Eles mandaram uma foto, mas o corpo estava irreconhecível, só conseguimos identificar que era o meu primo através da roupa, pois como ele tinha nos mandado uma foto na tarde em que ele faria a travessia, foi assim que vimos que era ele mesmo”, relatou a prima Vanessa Oliveira em conversa com o BT.

Vanessa conta que imediatamente entraram em contato com os pais de Jefferson no Brasil, mas que eles não acreditavam que aquilo poderia ter acontecido. Para ter certeza que se tratava do jovem o tio entrou em contato mais uma vez com o resgate e pediu uma foto do braço esquerdo do corpo encontrado, pois Jefferson tinha uma tatuagem em homenagem a mãe. Através dessa tatuagem foi possível confirmar que realmente se tratava dele.

Após a confirmação da morte de Jefferson, os familiares observaram que o WhatsApp permanecia como “online” e decidiram ligar. Para a surpresa deles um homem, que falava em espanhol atendeu a ligação. “Perguntamos do Jefferson, o por que ele estava com o telefone do meu primo e ele dizia que tinha achado aquele telefone na fronteira e davam risada na nossa cara”, afirmou vanessa. Ela ainda conta que até a tarde de ontem (quinta-feira, 17), a pessoa que esta em posse do parelho de telefone de Jefferson, ligou para eles e também para alguns contatos que Jefferson tinha no aplicativo, pedindo para colocarem crédito no telefone.

Tentamos contato com o número, que aparece que esteve online pela útima vez ontem às 4:18pm, para tentarmos saber alguma informação sobre o que teria acontecido com o jovem mineiro durante a travessia, mas a ligação não foi atendida.

O Brazilian Times recebeu mensagens através do Facebook, de pessoas do Brasil dizendo que especula-se que a morte de Jefferson teria alguma coisa haver com uma dívida de um dos guias com um coiote “Muitos estão falando que ele foi torturado, que deram um tiro nele e jogaram em um rio....Dizem que foi por causa de dívidas que o guia tinha com coiotes, mas isso tudo eu ouvi de terceiros”, revelou uma fonte ao BT.

Questionamos a Vanessa sobre a veracidade dessas informações, ela confirmou que a família também já ouviu essa versão, mas que até o momento não se sabe o que realmente aconteceu. “A gente não sabe, não temos certeza... Só sabemos que ele foi achado no rio, mas não sabemos do que ele morreu, o que aconteceu, se realmente tem algum tiro no corpo dele.”

A família de Jefferson esta desesperada no Brasil e aguardo o envio do corpo para poder se despedir do jovem que morreu ao tentar realizar o sonho de uma vida melhor.

Para conseguir o valor necessário para os custos com o envio do corpo para o Brasil, familiares criaram uma conta no site Go Fund Me. “Qualquer valor será bem vindo”, afirma Vanessa. Para fazer a sua doação acesse o link: https://www.gofundme.com/jefferson-body-translation.

Fonte: Brazilian Times/Thais Parmatian