Publicado em 23/11/2016 as 8:00pm

Catarinense, morador de Malden, se destaca no Tênis de Mesa

Catarinense, morador de Malden, se destaca no Tênis de Mesa

Nascido em Chapecó (Santa Catarina) e criado em Balneário Camboriú (SC), o catarinense Matheus Kuntze (28), descobriu no Tênis de Mesa o seu esporte predileto e também sua vocação. Graduado em Direito, ele pratica o esporte há 13 anos e veio para os EUA no intuito de estudar Inglês e fazer seu MBA na universidade Lindenwood, em Saint Louis (Missouri).

Atualmente morando na cidade de Malden (Massachusetts), Matheus faz parte da Confederação Americana de Tênis de Mesa (USATT) e já se prepara para competir avulso (sem clube) nas competições na região da costa leste, tendo sua primeira disputa americana marcada para o mês que vem.

O brasileiro conta que iniciou seu interesse pelo esporte quando ainda estava no colégio. “Comecei no colégio por práticas suplementares de Educação Física, onde disputei várias competições regionais. Após o primeiro ano os resultados já vieram positivos, eu na época com 12 anos, jogava a categoria sub13 e terminei aquele ano em segundo lugar no ranking geral anual. Fui convidado a jogar pela equipe do município, onde a estrutura de treinamento era totalmente diferente da qual tínhamos nas dependências da escola. Por aí comecei a perceber que realmente gostava muito de jogar, pela evolução em tão pouco tempo, e com o decorrer das competições e dos resultados, se tornava cada vez mais óbvio a chance de me tornar um profissional”, relembra.

Tendo como inspiração atletas japoneses, desde jovem o atleta se destacava em sua categoria trazendo inúmeras conquistas para o esporte. ”É muito valoroso poder lembrar-me desde o início, onde não tínhamos praticamente um material adequado de competição (raquete e borracha), sem contar da questão estrutural também; espaço, mesa de qualidade de competição, raquetes, bolas etc., tudo o que diferencia o famoso Ping-Pong do Tênis de mesa. As minhas conquistas foram desde o segundo ano de treino, onde participei da seleção catarinense desde a categoria sub 15 até praticamente sub 21, tive os melhores resultados possíveis no estado, ganhando todas as categorias desde 12 aos 21 anos no ranking geral. Inúmeras vezes em segundo ou terceiro lugar em diversas categorias nos campeonatos brasileiros representando o estado”, recorda.

Quando questionado sobre qual competição mais marcou sua carreira ele afirma. “A competição que na minha história mais valorizo, foi um campeonato aberto mundial para categorias de base que joguei em São Paulo onde consegui ficar em quinto lugar, perdendo apenas para o campeão. Essa eu considero minha maior façanha ao longo dos anos.”

Matheus relata que seus maiores incentivadores sempre foram seus pais e seus avós. “No início tudo era muito difícil e caro, eles me proporcionaram o apoio adequado para iniciar a prática do esporte. Sem esquecer claro, à frente, dos patrocinadores e apoiadores que foram também fundamentais para a evolução na carreira”, relata.

Os planos de Matheus incluem retomar a rotina de treinos, dar continuidade as competições individuais e ainda investir na construção do projeto de uma academia de Tênis de mesa e exercícios funcionais na região de Boston. “Vi essa oportunidade porque conheci dois clubes de Tênis de mesa, e ambos faltam o comprometimento da parte dos administradores, bem como, eu vivenciava dia a dia no Brasil, eu posso dizer que podíamos obter um diferencial nessa questão, seja para atletas de competição, para apaixonados pelo esporte e também para aquela pessoa que não gosta de ir à academia, mas não tem noção de como o Tênis de mesa pode melhorar o condicionamento físico de seu corpo. Lembrando que para todas as idades!”, afirma.

Para aqueles que assim como Matheus desejam se destacar em algo ou em algum esporte, ele dá a dica. “Seja qual for a sua dificuldade, NÃO DESISTA! Corra atrás! Quando temos um objetivo e um norte, temos que seguir em direção a ele. Assim como aconteceu comigo, tive a ‘sorte’, que com muito esforço inúmeras horas de treinos, consegui revolucionar como atleta um sistema de gestão municipal no esporte, e um bom conhecimento de marketing esportivo que aprendi nesses anos, onde todos ganharam com isso, inclusive eu. Me sinto vitorioso por tudo o que conquistei, e agradeço a todos que me acompanharam na trajetória no Brasil.”

O atleta também pensa em firmar parcerias com empresas dispostas a investir no esporte. “Hoje com o projeto de iniciar as competições individuais aqui pela região Leste dos EUA, gostaria de deixar-me a disposição de empresas brasileiras também da região para que possamos fechar parcerias, para esse reinicio da caminhada e também lembrar que tenho um bom conhecimento sobre como fazer ações de marketing de patrocínio à atletas!”, afirma.

Fonte: Da redação