Publicado em 23/11/2016 as 6:00pm

Pai vai ao México buscar corpo de filho espancado e morto na fronteira com os EUA

O jovem casou-se há 6 meses e planejava encontrar-se com parentes que moram em Massachusetts

O motorista Reginaldo Castro Oliveira, de 38 anos, espera viajar para o México até sexta-feira (25) para buscar o corpo do filho Jefferson Eduardo de Oliveira, de 19 anos, mineiro do distrito de Plautino, em Sobrália (MG), encontrado morto às margens do Rio Bravo no lado mexicano, tentando entrar clandestinamente nos EUA.

“Já encaminhei toda a documentação necessária a uma funerária em Boston (MA), em Massachusetts, que vai providenciar o traslado”, informou Reginaldo.

 

Entenda o caso:

No sábado (12), as autoridades mexicanas na cidade de Nuevo Laredo, no estado de Taumalipas, encontraram no Rio Bravo o corpo de Jefferson Eduardo de Oliveira, que entrava entrar clandestinamente nos Estados Unidos. O jovem casou-se há 6 meses e planejava encontrar-se com parentes que moram em Massachusetts. Em virtude da crise econômica e política brasileira, ele tentava imigrar e assim proporcionar uma vida melhor aos familiares em Minas Gerais.

Conforme Vanessa Oliveira, prima de Jefferson, a polícia mexicana informou que o brasileiro foi espancado até a morte e seu corpo jogado no rio. O reconhecimento da vítima foi feito através de uma tatuagem que ela tinha no pulso direito com o nome da mãe e pelas roupas que trajava. O tio do jovem, Eduardo de Oliveira, que reside em Massachusetts, foi comunicado pelas autoridades na quarta-feira (16). Antes da perigosa viagem, a esposa de Jefferson havia pregado do lado interno da calça comprida que ele vestia o nome e número do telefone do tio em Massachusetts. As autoridades calculam que o corpo da vítima estava há pelo menos 3 dias no rio.

Nos últimos anos, inúmeros imigrantes que tentam entrar clandestinamente nos EUA através da fronteira mexicana são vítimas de traficantes de drogas que os sequestram ou atacam em busca de dinheiro.

 

Campanha beneficente:

Na sexta-feira (18), a internauta Patrícia Oliveira, moradora em Allston (MA), criou no website GoFundMe a campanha beneficente: www.gofundme.com/jefferson-body-translation. O objetivo era angariar US$ 10 mil para custear o traslado do corpo de Jefferson ao Brasil para velório e sepultamento. Até a tarde de segunda-feira (21), já haviam sido arrecadados US$ 11.887. A meta foi ultrapassada em 24 horas.

 

Viagem perigosa:

O jovem embarcou para o México no começo do mês e, no sábado (12), seguiu para atravessar o Rio Bravo, saindo de Nuevo Laredo, do lado mexicano, para Laredo, no Texas, nos Estados Unidos. Do grupo de 6 brasileiros, a maioria moradora em Sardoá (MG), no Vale do Rio Doce, 4 foram presos por agentes da imigração norte-americana e 1 está desaparecido. Quanto a Jefferson, ele foi encontrado morto às margens do rio, na cidade mexicana, quatro dias depois da travessia.

Reginaldo voltou a reclamar de falta de informações por parte das autoridades brasileiras. Segundo ele, o Itamaraty ainda não fez nenhum contato com a sua família para falar sobre as investigações relacionadas a morte do filho e das providências tomadas. “Quanto mais o tempo vai passando, a nossa dor só aumenta”, lamentou o pai.

Fonte: Da redação