Publicado em 18/12/2016 as 7:00am

Brasileiro acusa a ex-mulher de levar a filha para morar nos EUA sem o seu consentimento

Desesperado e sem ter contato com a filha desde 2014, Valdemar relata ter tido informações de que sua ex-mulher estaria morando na cidade de Woburn (MA)

Sem ter notícias da filha desde agosto de 2014, o paraibano Valdemar Andrade Neto  procura desesperadamente por notícias que levem ao exato paradeiro da pequena Ana Cecília Andrade, de apenas 7 anos.

Neto mora no Brasil e em entrevista por telefone ao Brazilian Times, contou que conviveu com a mãe de Ana, a brasileira Carolina Gílio, por 10 anos, sendo 4 deles como casados. Neto relata que o término do relacionamento ocorreu de forma amigável, quando a filha do casal tinha apenas um ano e meio de idade. Durante o período em que permaneceram casados, eles residiam na cidade de Orlândia, interior de São Paulo, mas com o fim do casamento Neto voltou a morar na Paraíba, o que naturalmente o distânciou do convívio diário com a filha, mas não impediu de continuar sendo um bom pai, comunicando-se com a filha através de telefone e internet com frequência. “O último contato que tive com a Ana Cecília foi em meu aniversário em 30 de agosto de 2014, através de um vídeo no Facebook”, relembra.

Valdemar casou-se novamente, teve mais um filho, mas afirma jamais ter deixado de auxiliar no sustento da filha. “Sempre paguei pensão e ajuda extra para aniversários ou quando a criança adoecia, entre outras coisas”.

Ele relata que em 2012 assinou uma autorização de viagem e em 2014 Carolina o informou que havia ganhado uma viagem com tudo pago para a Disney, com direito a acompanhante e que pretendia viajar com a filha para curtir férias. Ele concordou com a viagem da filha, mediante um combinado verbal entre eles de que no final daquele ano Ana Cecília iria para a Paraíba passar 30 dias de férias com o pai.

O tempo passou e elas não retornaram e desde então Neto procura por informações que levem ao paradeiro da filha. Ele conta ter recebido uma correpondência macabra, um envelope com os cabelos e um bilhete dizendo que aquela seria a única parte que ele teria da filha. Valdemar chegou a registrar um boletim de ocorrência formalizando que não sabia das intenções da ex-mulher em morar fora, levando com ela a filha do casal. Ele conta que ao investigar através de redes sociais, descobriu que a princípio Carolina estava vivendo junto com um brasileiro no estado da Florida, mas mudou-se para Massachusetts, separou-se e que atualmente convive com outro brasileiro. “Tentei fazer contato todo esse tempo, mas nunca obtive nenhuma resposta. Depois de 8 de novembro eles começaram a me ligar, ou seja, depois que descobri o paradeiro de minha filha”. O contato teria ocorrido por parte de uma ex-cunhada, irmã de Carolina. “Ela me ligou entre os dias 9 e 10 de novembro, falou alguns desaforos pra mim e desligou. Foi uma ligação curta pelo WhatsApp e depois ela me bloqueou”, conta.

De acordo com investigações feitas por Neto, atualmente a ex-mulher e a filha moram na cidadede Woburn (MA). “O que mais me chateia é a falta de contato com a minha filha e o que mais me preocupa é a saúde mental dela. Com essa denúncia pretendo tentar, de alguma forma, proteger a minha filha. E quando ela tiver consciência saber que eu, o pai, em nenhum momento desisti dela e não irei desistir”, relata.

Neto afirma ter tido informações de que o término do relacionamento com o brasileiro em que Carolina viveu na Florida não foi dos melhores e que teve acesso a um documento em que a ex-mulher pediu uma medida protetiva. “Eu não sei o que houve, se tem algum problema relacionado com a minha filha”. Neto faz graves acusações em relação ao atual companheiro da mãe de sua filha, entre elas a de que o homem enganou a mulher no Brasil, onde é casado legalmente. “Ele é casado no Brasil. Abandonou a mulher”. Essa informação foi confirmada com a mulher, mas a mesma informou ao BT que após descobrir a vida dupla que o marido levava, já entrou com o pedido de divórcio.

Neto teria descoberto informações que o convívio com o atual companheiro de Carolina colocaria em risco a saúde e a integridade física e mental de sua filha e agora tenta  saber qual é a atual condição psicológica da filha. “Pretendo pedir a guarda para que ela venha morar comigo. Casei-me novamente e tenho um filho de um ano e dez meses, tenho uma enteada  de 8 anos. Minha filha tem tios, avós e primos morando perto, ou seja, ela tem uma família aqui”.

Após entrar com ação judicial o pai aflito, aguarda pela justiça brasileira. “Existe uma limiar de busca da criança”, afirma.

Ele deixa um recado para a filha e pede ajuda da comunidade. “Filha quero que saiba hoje, amanhã e sempre que seu pai nunca desistiu de você e que jamais irei descansar enquanto não a tiver em meus braços novamente. Peço ajuda de toda a comunidade brasileira de Boston, que me ajudem nesse batalha de pai”.

O Brazilian Times tentou localizar a brasileira Carolina Gílio para comentar as acusações e saber o que ela tem a dizer em sua defesa, mas até o fechamento dessa edição não conseguimos contato.

Fonte: Brazilian Times