Publicado em 16/01/2017 as 10:00am

Amigos fazem campanha para enviar corpo de brasileiro morto na Florida

Família conta com ajuda da comunidade brasileira para prestar homenagem e dar o último adeus a Guilherme no Brasil

Nascido em Porto Alegre (Rio Grande do Sul), Guilherme de Menezes Garcia, 26 anos, era o caçula e único filho homem entre quatro irmãos. Mudou-se do Brasil para os Estados Unidos em 2006, juntamente com sua mãe Carla Menezes, em busca de uma melhor qualidade de vida.

Em 2008 Carla regressou ao Brasil e Guilherme decidiu permanecer nos EUA. “Ele quis ficar por mais um ano para juntar dinheiro, pois tinha emprego fixo em Boca Raton, porém se maravilhou com a América e nunca quis voltar”, relata Milene Menezes, uma de suas três irmãs que reside em Santa Catarina. Em conversa com o Brazilian Times a irmã contou que não via o irmão há quase 10 anos, mas que ele tinha muito contato com a família através das redes sociais e por telefone. “A realidade brasileira nunca permitiu que conseguíssemos ir vê-lo, salvo uma de minhas irmãs que em dezembro de 2014 esteve visitando ele. Nosso contato era virtual e por telefone”, afirma.

Guilherme era solteiro, não tinha familiares nos EUA, morava em Fort Lauderdale (FL), onde recentemente havia montado uma empresa de reformas de casas em geral. Ele foi encontrado sem vida na casa em que morava na última quinta-feira, dia 12. A causa da morte ainda não foi revelada.

O brasileiro era muito querido pela comunidade da Florida. “O Guilherme era uma pessoa muito honesta, alegre e muito querido. Sempre estava de bem com a vida”, relata a brasileira Joana Machado, amiga de Guilherme.

CAMPANHA

Para ajudar com os altos custos do envio do corpo para que a família possa dar o último adeus a Guilherme no Brasil, amigos criaram uma página de arrecadação através do site Go Fund Me. “A dor é inexplicável, mas toda essa corrente de ajuda e de palavras de carinho ajudam a amenizar um pouco da dor”, afirma Milene. Para fazer a sua doação acesse o link: www.gofundme.com/bringguihome.

Família faz um apelo especial à comunidade brasileira

“Guilherme... menino lindo, alegre, amoroso e sonhador. Amado demais pelas quatro mulheres da vida dele, como ele mesmo nos chamava. Somos três irmãs e uma mãe que ele sempre quis que tivéssemos orgulho dele. E temos, sabemos de todas as dificuldades que ele enfrentou bravamente, dia a dia, sol a sol. Por onde passava encantava com seu talento, sua bondade, seu sorriso.

Nessa hora de dor, o consolo vem através de tantas declarações de carinho e de pessoas que falam o quanto ele era especial. Nós sabemos disso, ahhh como sabemos!

Foi para os EUA com nossa mãe e se encantou pela América, nunca mais retornando ao Brasil. Infelizmente a realidade brasileira não nos permitiu vê-lo, são 10 anos longe, e só agora, diante desta situação tão triste é que poderemos tê-lo em nossos braços para um último carinho, um último adeus.

Nossa esperança está na compaixão das pessoas em entenderem nossa situação e nos ajudarem a trazer nosso menino de volta. Precisamos deste momento com ele, pois não importa como, somente desta forma nossos corações serão acalentados.”

Fonte: Thaís Partamian Victorello

Top News