Publicado em 16/01/2017 as 1:00pm

Correspondente da Globo relata xenofobia contra filho nos EUA e ataca Donald Trump

Correspondente da Globo relata xenofobia contra filho nos EUA e ataca Donald Trump

Donald Trump vai assumir a presidência dos Estados Unidos com a popularidade em baixa com a classe artística americana e estrangeiros que vivem no país. Prova disto foi um relato de Sandra Coutinho, correspondente da Globo e da Globo News em Nova York, que serviu como crítica ao novo presidente.

Na noite desta sexta-feira (13), durante participação ao vivo no programa “Globo News em Pauta”, da Globo News, a jornalista comentou que o seu filho foi vítima de ataque xenofóbico no país norte-americano. Ela classificou o episódio como o “prenúncio da ‘Era Trump'”, referindo-se ao discurso mantido pelo presidente eleito contra os imigrantes no país.

“Eu tenho de contar uma história pessoal, apesar de meu filho não querer que eu conte de jeito nenhum, que é a seguinte: anteontem, meu filho estava andando, ouvindo música brasileira no fone de ouvido – está com mania de Seu Jorge, como eu – e uma pessoa parou ao lado dele e o olhou, incomodada. O sujeito simplesmente puxou o fone de ouvido dele, o empurrou e falou assim: ‘volta pro seu país, sua bicha’, um termo grosseiro para quem é gay”, revelou a correspondente.

“É uma coisa muito grave, mas na ‘Era [George W.] Bush’ também existia isso. É verdade que a gente não pode atribuir a uma pessoa, mas é aquilo que a Meryl Streep disse: ‘se o chefe de tudo acha que está tudo bem você perseguir as pessoas, dizer coisas horrorosas sobre elas, você está dando sinal verde para que outras pessoas façam as mesmas coisas”, desabafou, ainda na TV. “Está complicado e as coisas vão piorar “, alertou ela.

A jornalista continuou o assunto nas redes sociais. Em seu perfil, no Twitter, Sandra expressou a sua revolta e disse que tudo isso “é o prenúncio da ‘Era Trump'”. Veja o desabafo: "Meu filho ouvindo música brasileira com fone na rua. Um louco arranca o fone, dá um empurrão e grita: "volta pro seu país! Era Trump".

Fonte: Brazilian Times