Publicado em 10/02/2017 as 8:00pm

Califórnia cria projeto para proteger inquilinos imigrantes

Califórnia cria projeto para proteger inquilinos imigrantes

Na última posição da Califórnia contra a administração Trump, o deputado David Chiu apresentou um projeto de lei na sexta-feira (03/02) que visa proteger os inquilinos imigrantes de proprietários “sem escrúpulos” dispostos a usar o status de imigração locar um imóvel.

O projeto, chamado de AB291, proibiria os proprietários de divulgarem o status imigratório dos inquilinos ou ameaçá-los a denunciá-los a agentes de imigração federais. Este tipo de atitude tem sido comum e visa evitar reparos nas casas ou forçar os inquilinos a se mudarem.

“Sabemos, e nossos inquilinos imigrantes sabem, que os proprietários têm o poder de destruir suas vidas com um único telefonema”, disse Chiu, o democrata de San Francisco e ex-supervisor da cidade, em entrevista coletiva. “Ninguém deve viver no medo simplesmente porque pagam o aluguel para seu repouso”, continuou.

Ele disse que os advogados de habitação e imigração em todo o estado relataram retaliação contra inquilinos por procurar reparos nas casas ou relatar problemas como fiação exposta. Em alguns casos, os proprietários que fizeram despejos ilegais ameaçaram chamar os agentes de imigração se um locatário reclamasse disso, segundo relatou Chiu.

“Vivemos em tempos difíceis”, disse ele. “Tudo está ficando pior para os imigrantes na América de Trump, inclusive para inquilinos imigrantes”, continuou.

Chiu co-escreveu o projeto de lei com oito legisladores, incluindo o recém-eleito Senador Scott Wiener (D-San Francisco), que se juntou a ele na coletiva de imprensa de sexta-feira.

“A última coisa que precisamos é que os proprietários sejam os braços da ICE”, disse Wiener. “Precisamos bloquear as armas contra o desastre que vem de Washington, D.C. Até que possamos resolver isso, temos que nos solidarizar, todos nós”, afirma.

O prefeito Ed Lee reafirmou o compromisso de San Francisco com as políticas de continuar a ser uma “Cidade Santuário” e se juntou ao chefe da polícia, William Scott, e ao xerife Vicki Hennessy, escrevendo uma carta ao Departamento de Segurança Interna afirmando que a cidade não ajudaria nas deportações federais.

Fonte: Brazilian Times