Publicado em 15/02/2017 as 5:00pm

Secretário do Homeland Security confirma prisão de quase 700 imigrantes em uma semana

Secretário do Homeland Security confirma prisão de quase 700 imigrantes em uma semana

Na semana passada, o Departamento de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos (ICE, sigla em inglês) lançou uma série de operações em diversas partes do país. Elas visavam prender pessoas que ameaçavam a segurança pública, tais como criminosos, membros de gangues e quem violou as leis de imigração, incluindo quem entrou no país ilegalmente depois de serem deportados e fugitivos com ordem de deportação.

Estas ações aconteceram nas áreas de Los Angeles, Chicago, Atlanta, San Antonio e New York e prenderam mais de 680 indivíduos que representam uma ameaça à segurança pública, à segurança nas fronteiras ou à integridade do sistema de imigração. Entre os presos, aproximadamente 75 por cento eram imigrantes criminosos condenados por crimes, incluindo homicídio, abuso sexual agravado, agressão sexual a um menor, atos obscenos e lascivos com uma criança, atitudes indecentes com um menor, agressão, assalto, DUI e porte ilegais de armas.

Estas informações foram confirmadas pelo Secretário do Homeland Security, John Kelly, na segunda-feira (13/02). Ele afirmou que esse tipo de operação tem sido direcionada a um grupo de pessoas e que acontece regularmente há muitos anos.

Kelly acrescenta que o presidente Trump tem sido claro ao afirmar a principal missão do DHS é proteger a nação. “Ele orientou o nosso departamento a se concentrar na remoção de imigrantes indocumentados que violaram nossas leis de imigração, com um foco específico sobre aqueles que representam uma ameaça à segurança pública, tem condenações por infrações penais, cometeram violações de imigração ou foram deportadas e reentraram no país ilegalmente”, disse.

O Secretário elogiou os esforços heroicos dos funcionários dedicados do escritório do ERO (Enforcement and Removal Operations) ICE e aqueles que prestaram assistência para a realização destas operações. Entre as agências ele destaca funcionários do Homeland Security Investigations, o U.S. Marshals Service, bem como agências estaduais e locais que cooperaram para a aplicação da lei estadual e local. “Estes profissionais colocam suas vidas em risco para proteger nossas comunidades e o país. Não há um chamado maior do que servir e proteger a nossa nação - uma missão que os homens e mulheres do ICE executam com profissionalismo e coragem todos os dias”, continuou.

NÚMEROS DE PRESOS

Foi registrada a prisão de 190 presos na Georgia, Carolina do Norte e Carolina do Sul. Deste número, 127 tinham antecedentes criminais e condenações, além do status de imigração ilegal. Outros 29 foram deportados anteriormente dos Estados Unidos e, posteriormente, entraram no país ilegalmente. Além disso, 17 eram fugitivos de imigração com ordens finais de deportação. Dos 190, 87 foram detidos na Geórgia, 84 na Norte Carolina e 19 na Carolina do Sul.

Um total de 235 imigrantes foram presos em seis estados do centro-oeste durante as operações. Eles foram detidos em Illinois, Indiana, Wisconsin, Kentucky, Kansas e Missouri. Deste número, 163 tinham condenações penais, 60 tinham foram previamente deportados reentraram no país. Outros 12 eram fugitivos de imigração com ordens pendentes de deportação.

Em Los Angeles (Califórnia), as prisões totalizaram um número de 161 imigrantes, dos quais 151 tinham condenações penais anteriores. Já em New York, foram presos 41 imigrantes, sendo que a maioria (38) tinha condenações penais Para finalizar, na área de San Antonio, também na Califórnia, 51 imigrantes foram presos. Deste total, 23 tinham condenações penais.

Fonte: Brazilian Times