Publicado em 28/02/2017 as 5:00pm

Homem diz que transportou brasileiros indocumentados para pagar dívida com agiota

Além dos imigrantes brasileiros, os outros passageiros eram oriundos da Guatemala e El Salvador

Um homem, suspeito de contrabandear imigrantes indocumentados, transportava oito passageiros em seu veículo quando um oficial de polícia de D'Iberville (Mississippi) o abordou em uma parada de trânsito, segundo relatos judiciais.

Robert Espinal Jr., 50, de Houston (Texas), está detido sob suspeita de transportar imigrantes que não têm permissão para estar nos Estados Unidos.

Seus passageiros tem idades entre 19 a 49 anos e são oriundos da Guatemala, El Salvador e do Brasil, segundo as autoridades. "Nenhum deles sabia falar inglês", disse um agente do Homeland Security Investigation (HSI) durante o seu depoimento em um tribunal federal. No total, oito passageiros estavam no veículo, sendo duas mulheres e seis homens.

Quando foi detido, Espinal estava na direção leste, na Interestate 10, dia 16 de fevereiro, quando um policial de D'Iberville o parou por estar acima da velocidade permitida na área, que é de 46 milhas. O Kia Sorento que ele dirigia acomoda de cinco a sete pessoas e tinha uma marca da Flórida.

O policial não falava espanhol, então os agentes da Patrulha da Fronteira foram ao local. Espinal e seus passageiros foram presos e levados para a estação do Gulfport Border Patrol.

O grupo estaria indo para Miami (FL)

Espinal disse aos agentes do HSI que havia emprestado US$ 5.000 de uma pessoa em Houston e concordou em pagar US $ 10.000, o dobro do valor emprestado. Segundo as informações, ele recebeu um telefonema no final de janeiro dizendo que ele teria que levar pessoas até Miami e receberia uma taxa de US$300 por pessoa e isso reduziria a sua dívida.

De acordo com o depoimento, Espinal disse que havia levado cinco pessoas para Miami depois desse telefonema. Ele também recebeu um telefonema em 14 de fevereiro e foi dito para conduzir oito pessoas até Miami. O grupo passou a noite em seu apartamento e estavam indo para a Flórida quando foram parados pela polícia.

Espinal admitiu sabe que aqueles que os seus passageiros estavam nos Estados Unidos ilegalmente. Ele é mantido preso aguardando uma avaliação do júri das acusações. A queixa não diz o que aconteceu com os oito passageiros.

Fonte: Brazilian Times