Publicado em 3/03/2017 as 3:00pm

Imigrante é presa após discursar em conferência sobre imigração

O caso foi registrado em Jackson (Miss) e a estudante estava aguardando uma reaplicação para o DACA

Uma mulher que se apresentou como “DREAMer” foi presa depois que discursar em uma conferência de imprensa em Jackson (Mississipi).

A prisão ocorreu em meio a uma série de ataques de imigração e a falta de clareza sobre o objetivo dos planos do governo Trump para deportações.

Daniela Vargas foi detida nesta quarta-feira (01/03), de acordo com os advogados Ramiro Orozco e Abby Peterson e o Immigration and Customs Enforcement (ICE).

Na conferência de imprensa, membros da comunidade latina da área metropolitana falaram sobre as recentes incursões dos ICE e o primeiro discurso do Presidente Trump em uma sessão conjunta do Congresso. Abby Peterson, advogada de Vargas, disse que sua cliente falou sobre a história de sua vida.

Ela relatou eventos recentes envolvendo sua família. Seu irmão e seu pai foram presos no dia 15 de fevereiro depois que agentes da ICE chegaram a sua casa. "Hoje, meu pai e meu irmão aguardam a deportação enquanto eu continuo lutando nesta batalha como um DREAMer para ajudar a contribuir para este país que é o meu país", disse Vargas.

Vargas deixou o evento de quarta-feira, no carro de um amigo, disse Peterson. Minutos depois, eles foram abordados por dois veículos ICE. Aproximadamente quatro agentes aproximaram-se deles e levaram Vargas sob custódia, de acordo com Peterson.

A advogada não viu nem falou com sua cliente, mas foi dito pelo ICE que Vargas está sendo mantida presa sem ligação e está sendo processado por ter ultrapassado a permanência do Visto.

O Departamento de imigração está ciente de que Vargas tem uma aplicação pendente do DACA, programa que protege jovens imigrantes da deportação.

Vargas, de 22 anos, veio aos Estados Unidos da Argentina quando tinha sete anos, de acordo com Peterson. Ela solicitou e obteve o status de DACA em 2012. Depois o renovou em 2014. Seu status expirou em 11 de novembro do ano passado. Ela reaplicou em fevereiro e em 10 de fevereiro, seu pedido estava pendente com USCIS, de acordo com Peterson.

Vargas não voltou à Argentina desde que chegou aos Estados Unidos, há 15 anos. A advogada disse que ela não tem nenhum registro criminal, além de infrações menores de trânsito e condução sem seguro.

Em uma declaração na quarta-feira, o ICE confirmou a prisão de Vargas, descrevendo-a como "uma cidadã argentina que está ilegalmente nos EUA". O ICE disse que ela foi levada sob custódia "durante uma ação policial direcionada" em Jackson.

Fonte: Brazilian Times