Publicado em 20/03/2017 as 10:00am

FINE ART: Exposição ajuda a dar voz aos imigrantes em MA

Artistas da Albânia, Brasil, Moldávia e China exibem pinturas, desenhos, fotografias e arte de fibra em "Talk Time Artistry", na Thomas Crane Public Library em Quincy

Os imigrantes podem achar um desafio expressar-se em inglês, mas a arte é uma linguagem universal. Pela primeira vez em Quincy, artistas talentosos que também são imigrantes recentes se apresentam à comunidade em uma exposição de arte na Thomas Crane Public Library.

"É muito difícil quando você não pode dizer o que realmente quer dizer por que você não sabe como dizê-lo", disse Andri Jorganxhi, 24, um chef de pastelaria que se mudou da Albânia para Quincy (Massachusetts) há seis anos. "Mas se você é um artista, pode dizer às pessoas o que você é através de sua arte e mostrar o que você pode dar".

Jorganxhi e quatro outros artistas do Brasil, Moldávia e China exibem pinturas, desenhos, fotografias e arte de fibra em "Talk Time Artistry", em exibição no lobby principal da biblioteca até abril. Todos são atuais ou ex-alunos no programa gratuito "Talk Time", onde se reúnem semanalmente para praticar habilidades de conversação em inglês sob a orientação de um líder voluntário.

A líder Linda Zhou organizou a exposição depois de perceber que seus alunos respondem às exposições de arte mensais da biblioteca. "Eles passavam e eram meio melancólicos", disse Zhou, que lidera mais de duas dúzias de alunos em três aulas de conversação. "Eles falavam sobre arte como se não pudessem mais fazê-la, e eu pensei: ‘Por que não aproveitar a oportunidade que a biblioteca oferece para exibir? ’. Muitos estudantes não podiam acreditar que a biblioteca daria espaço livre para mostrar sua arte", disse.

Ela acrescenta que eles se sentem empoderados em terem a chance de pendurar a sua arte e as pessoas olharem para ela, e essa capacitação irá levar a outras coisas. A partir da declaração emoldurada e fotografia que acompanha o trabalho artístico, as pessoas podem aprender sobre os artistas. Alguns receberam treinamento formal de arte ou aprenderam com parentes em seus países nativos, enquanto outros são autodidatas. Os perfis dos artistas, assim como os rótulos dos trabalhos, foram escritos por alunos do Talk Time nas aulas de Zhou.

Gustavo Schiffler, biólogo que chegou a Quincy do Brasil em 2015 e agora trabalha como motorista, exibe fotografias que expressam o seu interesse pela interação entre o mundo humano e o mundo natural. Em "Céu Democrático", uma graciosa gaivota voadora parece não ser perturbada pelos dois arranha-céus de New York.

Para mais informações sobre o programa "Talk Time" envie e-mail para a coordenadora Molly Makrogianis no quenglishtalk@ocln.org ou ligu para (617) 376-3295. Uma nova sessão de classes começa em abril.

Fonte: Brazilian Times