Publicado em 29/03/2017 as 9:30am

Nos EUA, estudantes brasileiros participam da final do concurso de combate à seca

Se vencer, projeto Palmas pra Vida receberá um prêmio de US$10 mil

Após o intercâmbio de seis meses em Portugal, os Estados Unidos são o novo destino dos estudantes alagoanos Guilherme Damasceno e Maryllya Fonseca. Alunos de Gestão Ambiental no Instituto Federal de Alagoas (Ifal) em Marechal Deodoro, eles viajam nesta quarta-feira (29) para a Filadélfia, onde será anunciado o resultado do concurso Desafio Água, que incentiva e patrocina iniciativas para combater a seca no semiárido brasileiro.

Batizado de “Palmas pra Vida”, o projeto de Guilherme e Maryllya é um dos três finalistas do desafio proposto pela Ambev, em parceria com a Brasa, maior associação de alunos do Brasil no exterior. De acordo com a organização, mais de cem brasileiros que estudam na China, nos Estados Unidos, na Inglaterra, na Alemanha e em Portugal se inscreveram no concurso.

“A gente se inscreveu quando ainda estava em Portugal. Soubemos que as inscrições estavam abertas, juntamos os amigos e aproveitamos a oportunidade”, disse Guilherme. 

Combate à seca em Major Izidoro 

O projeto Palmas pra Vida propõe o reaproveitamento de águas cinzas derivadas de uma escola municipal de Major Izidoro, terra natal da aluna Maryllya. A ideia é destinar as águas para a irrigação de palmas, plantas que alimentam o gado leiteiro da cidade que é uma das maiores produtoras da bacia leiteira de Alagoas. O projeto visa beneficiar tanto os pequenos agricultores quanto a comunidade escolar, que receberá educação ambiental e parte do leite produzido. 

O vencedor do desafio será divulgado no dia 1° de abril, na Universidade da Pensilvânia, e receberá U$10 mil e consultoria técnica da Falconi para implementar o projeto. Caso saia vitorioso, o projeto Palmas pra Vida chegará em boa hora em Major Izidoro, onde o governo decretou estado de emergência por causa da forte seca que atinge a região. 

“Meu pai é agricultor e perdeu safras de milho e de palma por causa da seca. Vimos no concurso uma ótima oportunidade de usar o nosso conhecimento para mudar essa realidade”, explica Maryllya Fonseca, aluna do curso superior de Gestão Ambiental do Ifal de Marechal. 

Também fazem parte do grupo finalista Emanoella Rodrigues e Higor Cerqueira, estudantes da UFRB (Universidade Federal do Recôncavo Baiano) e do IFRJ (Instituto Federal do Rio de Janeiro), respectivamente. Os quatro se conheceram durante o intercâmbio no Instituto Politécnico de Bragança, realizado em parceria com instituições públicas de ensino do Brasil.  

Saiba mais sobre o desafio e assista ao vídeo que explica o projeto Palmas pra Vida no site www.marechal.ifal.edu.br.

Fonte: Brazilian Times