Publicado em 5/04/2017 as 2:00pm

Brasileira luta pelo direito de poder voltar para o Brasil com o filho

Após meses de espera a audiência do dia 30 março foi remarcada para o dia 12 de abril, quando a decisão final do caso deve ser divulgada.

Em dezembro de 2015 o menino Joseph JJ, de 6 anos de idade, foi levado do Brasil para os Estados Unidos pelo pai americano sem autorização ou consentimento da mãe, a brasileira Cintia Pereira, dois dias depois de ela ter conseguido a guarda do filho no Brasil. Depois de quatro meses sem notícias do paradeiro do filho, em abril de 2016 JJ teria sido localizado na casa dos avós paternos em Utah. No mesmo mês Cintia veio para os EUA para buscar o seu filho e desde então a brasileira trava uma luta na justiça americana pelo direito de levar seu filho de volta para o seu convívio e de seus familiares no Brasil. Enquanto trava a batalha judicialmente, ela conseguiu o direito de estar com o filho três vezes por semana durante três horas. As visitas ocorrem em uma clínica em Utah, sob supervisão de uma assistente social e eles só podem se comunicar em inglês.

Depois de longos meses de espera, na quinta-feira, dia 30, aconteceu mais uma audiência na Corte de Provo, em Utah, onde era aguardada a decisão final do caso, mas o juiz decidiu adiá-la para o dia 12 de abril.

Em um vídeo gravado por Cintia Pereira, mãe de JJ, e postado na segunda-feira (03), ela se diz confiante “nos planos do Pai celestial”. “Apesar das coisas não terem acontecido como eu esperava, meu coração esta em paz. Eu estou calma e acreditando que tudo irá acontecer no tempo certo. Eu aprendi que eu não tenho medo de mais nada por que eu tenho fé. Eu aprendi a ter uma fé inabalável e com isso eu sei que posso seguir”, afirmou. Ela também disse estar muito feliz por, depois de tanto tempo, estar desfrutando de uma semana na presença do filho durante o período do Spring Break. “É a oportunidade que nós temos de estarmos mais juntos depois de tantos meses”, relatou a mãe.

Durante o vídeo Cintia também afirmou que sabe que o caso não se trata apenas de uma abdução infantil. “Tem muitas pessoas que passam por situações de sequestro internacional de crianças. No meu caso não se trata só disso, eu aprendi muitas coisas e uma delas foi saber que a fé move montanhas”, disse.

Na noite da segunda-feira (3), a comunidade brasileira de Utah se reuniu para feijoada beneficente em prol da campanha “Give JJ back” no restaurante brasileiro Tushar. Foi uma noite de homenagens e solidariedade em prol de JJ e Cintia.

Quem quiser acompanhar mais sobre o caso, acesse a página “Give me JJ back” no Facebook. Para doações, acesse a página gofundme.com/returnJJ.

Fonte: Thaís Partamian Victorello