Publicado em 17/04/2017 as 1:50pm

Desesperada brasileira faz rifa para conseguir pagar fiança da filha

Prestes a completar 5 meses da detenção da filha, mãe faz rifa para pagar fiança da filha de 18 anos, presa pela imigração ao fazer a travessia pelo México.

Depois de viver alguns anos ilegalmente nos Estados Unidos e retornar ao Brasil, a brasileira Alexsandra Vilaça, 40 anos, decidiu voltar aos Estados Unidos através da fronteira com o México, desta vez na companhia de suas duas filhas, Laiza, de 12 anos e Larissa que havia acabado de completar 18 anos.  As três foram detidas por agentes da imigração, porém por ser menor de idade e nascida nos EUA, Laiza foi posta em liberdade juntamente com sua mãe, porém a irmã foi mantida presa.

Trabalhando para poder sustentar a filha menor de idade e juntar dinheiro para pagar o advogado para defesa de Larissa, Alexsandra relata que a próxima audiência de Larissa acontece na terça-feira, dia 25, e que o advogado do caso a informou que após quase cinco meses detida, a petição de fiança de Larissa foi aceita e que o valor deve ser fixado entre $7 e $10 mil dólares. “Eu não tenho esse dinheiro, por isso um conhecido que também é da mesma cidade que eu e trabalha com mármores me deu uma mesa para rifar entre a comunidade brasileira e assim eu posso tentar conseguir o valor para que minha filha possa sair da cadeia e voltar a viver comigo e com a irmã”, relata Alexsandra. A mãe também conta que há pouco mais de uma semana a filha foi transferida da cadeia que estava detida no Texas para a Otero County Processing Center, situada no Novo México. “Falei com ela ontem (15) por telefone... Ela disse que esse presídio é melhor do que o que ela estava antes, pois quando ela passa mal por causa da asma ela é levada na enfermaria... Ela esta dividindo a cela com outras 24 mulheres de vários países. Não vejo a hora de ter minha filha junto comigo”, desabafa a mãe.

As rifas para concorrer à mesa de mármore custam $10 cada e podem ser adquiridas diretamente com a Alexsandra através do telefone (508) 560-6133. Existe também uma campanha de doações através do site Go Fund Me: gofundme.com/7hjftu-larissa.

Fonte: Brazilian Times

Top News