Publicado em 19/04/2017 as 11:00am

Separadas, famílias imigrantes celebram a Páscoa na fronteira

Separadas, famílias imigrantes celebram a Páscoa na fronteira

Para algumas pessoas, a celebração da Páscoa, no domingo (16), aconteceu em um local diferente, no Friendship Park (Parque da Amizade). Foi um encontro histórico entre famílias separadas na fronteira entre os Estados Unidos e México. O evento enviou uma mensagem clara para a Casa Branca em relação à união e os direitos dos direitos dos imigrantes.

O muro existente na fronteira internacional não conseguiu impedir a união das famílias para a comemoração da Páscoa. El Faro, uma Igreja que atende cidadãos dos EUA e do México, organizou uma celebração e uma procissão de Páscoa no "Parque da Amizade". A localização permite que as famílias celebrem a Páscoa juntas, apesar da legalidade, arame farpado e cerca de metal que tipicamente as dividem.

De um lado familiares que vivem nos EUA e do outro, aqueles que foram deportados e separados de seus parentes. "Este dia traz e esperança, renovação e promessa", disse o Padre Dermot Rodgers, da Friend of the Border Church. "Nós estamos aqui para reunir as famílias. É dar testemunho, deste lado da fronteira, de que esperamos que um dia o que parecia uma total escuridão e deportação se torne em uma história de reunificação familiar".

Patricia Contreras demonstrou emoção quando se reuniu com sua família. "Eu estou aqui porque faz 17 anos que não vejo meus irmãos e hoje preciso vê-los", disse ela. A comunidade local e líderes trabalhistas de ambos os países participaram da reunião.

O grupo destacou o sétimo dia da "Caravana Contra o Medo", promovendo a unidade, a inclusão e a reforma migratória. "Não precisamos de mais militarização da fronteira. Nós não precisamos mais de um muro. Já temos o suficiente. O que precisamos é começar a respeitar um ao outro como seres humanos e começar a entender e descobrir alguns dos problemas que estão acontecendo na Síria, México, Haiti, no Brasil e em todo o mundo ", disse Alejandra Valles, porta-voz da "Caravana Contra o Medo".

Ambos os grupos estão trabalhando para defender os direitos dos imigrantes, manter as famílias unidas e resistir ao que eles chamam de políticas de imigração racista do presidente Donald Trump. Os eventos de hoje são um pontapé para o Dia da Greve Nacional, programada para dia 1 de maio.

Fonte: Brazilian Times