Publicado em 26/04/2017 as 8:00am

Brasileiro denuncia que pagou manutenção de seguro de carros sem saber

O BT ouviu a denuncia e foi atrás de um profissional da área para sanar dúvidas da comunidade no momento da contratação de um seguro.

Essa semana uma grave denúncia a respeito de seguro de carros foi feita através de uma publicação em uma das comunidades brasileiras mais ativas no Facebook, o Bazar Boston Novo.

Nela o brasileiro Hadson Zampoli relatava a experiência nada agradável que teve com um estabelecimento onde foi atendido por um compatriota ao tentar fechar o seguro de dois carros no início do ano. Ele teria pagado $1,180 para dar de entrada no seguro dos dois automóveis, um de propriedade dele e outro da mãe, e o restante do valor seria pago parcelado.

Ao receber uma carta da companhia de seguros, Hadson se disse surpreso, pois nela contava $400 a menos do valor que ele pagou ao fechar o seguro. Foi então que ele procurou o estabelecimento, situado na cidade de Everett, para entender o motivo do valor constar a menor. “Eu liguei para o rapaz que havia me atendido e perguntei o porquê estava faltando 400 dólares, ele disse que era $200 de cada por manutenção. Eu disse ‘manutenção de que??’, ele se embaralhou e falou que me devolveria a metade... Eu fui lá e ele me devolveu $200”, relatou o brasileiro à redação do Brazilian Times.

Quando questionado sobre como conheceu os serviços do estabelecimento, Hadson disse que soube através de uma amiga. “Uma amiga me disse que tinha visto esse escritório que trabalhava com seguros em Everett, então eu fui lá.”

Após um mês da contratação do seguro, quando tudo parecia resolvido, Hadson ligou para a companhia e para sua surpresa soube que devido às carteiras de habilitação não serem americanas, os seguros dos dois carros estavam cancelados. “A companhia de seguros me mandou um cheque de 100 dólares e mandou eu procurar o mediador do seguro, aí liguei para o rapaz que me atendeu e ele disse que não tinha nada haver com isso”.

Hadson conta que não quis levar a diante o caso e acabou contratando um outro seguro, mas fez a postagem para alertar a comunidade.

Está correto o mediador cobrar pelos serviços?

Afinal, o estabelecimento que faz a intermediação de um seguro de automóvel pode ou não cobrar pelos serviços prestados? A companhia de seguros pode ter errado no cálculo da devolução do valor pago, já que o seguro foi cancelado?

O Brazilian Times entrou em contato com um profissional brasileiro, que atua no ramo de seguro de automóveis há 20 anos, para sanar algumas dúvidas sobre a contratação de seguros com intermediação de agência de seguros devidamente autorizadas pelo estado de Massachusetts e despachantes que prestam esse tipo de serviços para a comunidade na região.

De acordo com Walter Martins, proprietário da conceituada companhia Walter Insurance Agency, situada na cidade de Lawrence (MA), a cobrança pelos serviços prestados, tanto pelas agências como por despachantes não é ilícita, “desde que devidamente comunicada e detalhada ao cliente”. Quanto ao cálculo de devolução de um seguro cancelado, com sua experiência de anos, Walter assegura que as companhias são muito corretas. “A partir do momento que o seguro é contratado ele já esta valendo. Não se pode cancelar um seguro com menos de 20 dias, pois o processo para finalização da contratação demora em média 30 dias o valor devolvido costuma ser proporcionou, podendo a companhia também cobrar uma taxa pelo cancelamento”.

Walter também relata que existem sim empresas que mantém seus contratos e até mesmo renovam com clientes que tem carteira de habilitação internacional. “Eu mesmo trabalho com empresas que aceitam e não cancelam os contratos dos clientes que tem carteira de habilitação do Brasil ou mesmo de outros países”, relata.

O empresário brasileiro aproveita para alertar a comunidade quanto às ofertas de “facilidades” de reduzir valores de seguro quando o mesmo é aberto como empresa. “Já teve agência que fechou as portas por que oferecia para o cliente a abertura de empresa para poder reduzir o valor do seguro do carro. Nunca abra uma companhia só para baratear o seguro de um carro. Isso é um grave crime federal e estadual. Quando alguém de oferecer essa ‘facilidade’, desconfie”, finaliza.  

Fonte: Brazilian Times