Publicado em 3/05/2017 as 2:00pm

Ativista político brasileiro avalia 100 dias de Trump

Ativista político brasileiro avalia 100 dias de Trump

O governo do presidente Donald Trump chegou aos 100 dias envolto em muita polêmica, ações criticadas e ordens executivas consideradas "racistas". Mas como a comunidade brasileira avalia este período da administração daquele que é considerado o político mais contundente da atualidade?

A redação do Brazilian Times conversou com o ativista Júlio Morais, que é especialista em política e trabalha na área há alguns anos. No início da conversa, ele deixou claro que as afirmações nesta matéria refletem sua própria opinião e não significa que a maioria pensa desta forma.

Morais acredita que o presidente Trump ainda está "aprendendo sobre as responsabilidades e o comportamento de sua nova profissão". Para ele, o Republicano cometeu vários erros, dentre eles, a de banir a entrada de imigrantes de determinados países.

O ativista ressalta que também tem o fato dele (presidente Trump) estar mudando de opinião com grande frequência e "desmentindo o que já foi dito por ele". Isso tem colocado algumas dúvidas sobre a administração, pois as incertezas e mudanças interfere numa boa gestão.

Na avaliação geral, Morais afirma que tem visto uma mudança de comportamento onde a arrogância imposta por Trump no início do mandato está sendo colocada de lado, por ele mesmo. "Nossa esperança é que até o final de sua administração, ele possa se tornar uma pessoa melhor", disse.

Para o ativista, o ponto positivo nestes 100 dias de governo, em sido o compromisso com a segurança nacional, apoio aos militares e também a posição que ele tem tomado em relação ao Estado Islâmico, a Síria e a Coreia do Norte. "Estes pontos são primordiais para manter a ordem e paz no mundo, pois este países e grupos têm sido uma constante ameaça às nações", afirma. "Por mais que estes problemas estão longe dos EUA, vejo essas ações como humanitárias", continua.

Morais reafirma que, em sua opinião, é muito importante poder intervir nesses regimes autoritários que "só traz miséria, injustiça e uma crise humanitária", como tem sido visto nos noticiários diários.

Em resumo, Morais acredita que o governo Trump precisa mudar alguns pontos de vista, mas aprova outros que o presidente tem desempenhado. "Ele é um político agressivo, mas precisa saber para que lado aponta suas ações", finaliza.

Fonte: Brazilian Times