Publicado em 23/05/2017 as 7:00pm

Dois brasileiros morrem após acidente de barco em Fort Lauderdale

André Neves e Juliani Costa estavam internados em estado grave. Morte cerebral foi decretada na tarde desta segunda-feira (22).

Após sofrerem um grave acidente ocorrido na Intracoastal Waterway, em Fort Lauderdale, região Sul da Flórida, na noite de sábado (20), o catarinense de 37 anos André Neves, morador de Deerfield Beach (FL) e a carioca Juliani Costa, de 29 anos, moradora de Boca Raton (FL), morreram na tarde desta segunda-feira, dia 22.

Os brasileiros estavam passeando a bordo de uma embarcação cataramã de 22 pés, quando foram bruscamente atingidos por outro barco. O acidente teria ocorrido por volta de 10:30pm.

O impacto da batida foi tão forte que a lancha atravessou o catamarã e acertou em cheio a cabeça dos dois. Os brasileiros foram socorridos e levados em estado grave para o Broward Health Medical Center, onde respiravam com ajuda de aparelhos.

De acordo com informações, André seguia internado e teve sua morte cerebral decretada na tarde domingo (21), mas permanecia respirando por aparelhos pelo fato de ser doador de órgãos e os médicos estariam tentando controlar a pressão para fazer uma cirurgia de remoção de alguns órgãos para doação.

Juliani também teve morte cerebral decretada na segunda-feira, dia 22, quando os parelhos que mantinham sua respiração também foram desligados.

O piloto do barco que atingiu drasticamente a parte de trás da embarcação em que estavam Neves e Costa, era um conhecido de André, que residia em sua casa como roomate. O sul-africano de 36 anos Max Irvine, pilotava a lancha acompanhado de Amanda Macke, 34. O casal não teria se ferido.

As causas do acidente estão sendo investigadas pela polícia de Ford Lauderdale. André Neves deixa um filho de apenas 4 anos.

Familiares e amigos de André e de Juliane criaram contas no site de arrecadação Go Fund Me para ajudar com as custas do velório e funeral de ambos: www.gofundme.com/andre-maynard-neves e www.gofundme.com/juliani-costa-acidente-de-barco.

Fonte: Brazilian Times