Publicado em 2/06/2017 as 4:00pm

33 estados se juntam a Trump na guerra contas os imigrantes

33 estados se juntam a Trump na guerra contas os imigrantes

Dois terços dos estados norte-americanos tomaram medidas para participar da tentativa do presidente Donald Trump para reprimir a imigração ilegal e as “cidades santuários”, um amplo movimento nacional que reforça o esforço da administração, mesmo que ele perca no Supremo Tribunal.

O Instituto de Política de Migração informou que 33 estados mudaram-se suas leis para sufocar a imigração ilegal. Eles são liderados pelo Texas, que tem uma lei para impedir as cidades de proporcionarem "santuário" a indocumentados.

"Enquanto o Texas foi o primeiro estado a aprovar uma ampla lei voltada para a imigração ilegal desde as eleições presidenciais, pelo menos 32 outros estados introduziram medidas contra a imigração", afirmou uma nota do Instituto.

Trump concentrou-se em deportar imigrantes indocumentados com antecedentes criminais ou que enfrentam acusações criminais. Ele também espera bloquear a entrada de refugiados e imigrantes de vários países com laços terroristas.

Os Estados, entretanto, estão procurando, principalmente, restringir a capacidade das cidades de se tornar santuários para indocumentados, inclusive os que tenham antecedentes criminais.

De acordo com a Conferência Nacional de Legislaturas Estaduais, desde o dia 8 de maio, 24 estados estavam considerando medidas contra as cidades santuários e quatro aprovaram essa legislação durante suas sessões legislativas este ano.

"Os estados da Geórgia e Indiana promulgaram leis que restringem as instituições de adotar políticas de santuário. O Mississippi deu um passo adiante, proibindo as jurisdições locais e as instituições de pós-secundário de adotar ou manter políticas de santuário", afirmou o grupo. Ele acrescentou:

“O resultado dos desafios desta nova onda de ativismo estadual é difícil de prever. Primeiro, há uma realidade jurídica alterada. O desafio ao SB 1070 foi trazido pela administração Obama, uma situação que provavelmente não ocorrerá na administração do Trump contra os estados que procuram exigir o cumprimento do ICE ou endurecer as penalidades contra a imigração ilegal. Como resultado, é provável que todos os desafios para tais leis estaduais sejam trazidos por partes privadas e por algumas jurisdições locais. As batalhas legais também estão ocorrendo em um momento em que o clima político esquenta sobre a aplicação da imigração no nível federal - e em muitos estados - se endureceu. No entanto, muitos tribunais também mostraram resistência ao sustentar as ações do presidente em matéria de imigração”.

Fonte: Brazilian Times