Publicado em 2/06/2017 as 10:00am

Brasileiro testemunha para novos cidadãos dos EUA

Em uma cerimônia realizada na UNCW, José Sartarelli falou de sua vida e como conseguiu a cidadania norte-americana

Trinta e sete mãos agitaram 37 pequenas bandeiras dos Estados Unidos na quarta-feira, dia 31 de maio, em uma sala na University of North Carolina Wilmington (UNCW).  Alguns tremiam.

Michael Beaudion, presidente do Rotary Club de Wilmington (Carolina do Norte) subiu ao palco e percebeu a excitação e nervosismo dos presentes que estavam prestes a se tornar Cidadão dos EUA.

“Espero que ao final disto teremos mais rostos sorridentes do que nervosos”, brincou ele, provocando algumas risadas na plateia.

Com certeza, no final da cerimônia de naturalização, haviam lágrimas de felicidade, flores e abraços em abundância. Co-patrocinado pelo Rotary Club e UNCW, o evento que acolhe os imigrantes na família norte-americana foi o primeiro de seu tipo. As 37 pessoas que se tornaram cidadãs nesta cerimônia representaram 20 países e ouviram a história de um colega imigrante - o reitor da UNCW, José Sartarelli.

“Bom dia, meus colegas americanos", disse Sartarelli. Nativo do Brasil que obteve seu primeiro diploma da Escola de Administração de Negócios de São Paulo, Sartarelli frequentou a Universidade Estadual de Michigan como bolsista Fulbright na década de 1970. Ele disse ao público, na quarta-feira, que se tornou um cidadão dos EUA após os acontecimentos de 11 de setembro de 2001 e, embora tenha vivido em diversas partes do mundo, os Estados Unidos é especial para ele.

"Esta nossa grande nação é construída com base na força, dedicação e determinação dos imigrantes", disse Sartarelli. "Uma parte do meu coração sempre bateu pelo meu país de origem, mas na minha alma, eu sou norte-americano.

Entre os cidadãos naturalizados estava Melisa Hidanovic Bown, que emigrou da Bósnia e Herzegovina em 2012 com seu marido, um fuzileiro dos EUA. “Ele me perguntou se eu queria começar uma nova vida neste país e eu vim com ele”, disse ela. “É realmente uma experiência que muda a vida mesmo. Estou ansiosa”, continuou.

Aos 20 anos, Mitul Patel era um dos mais jovens na cerimônia. Agora, um estudante de pré-med na East Carolina University, tem os Estados Unidos como seu lar desde 2008, quando sua família se mudou da Índia. “Eu estava ansioso por este dia há muito tempo - desde que cheguei aqui", disse ele. "Eu me sinto muito orgulhoso em ser um cidadão do maior país do mundo", seguiu.

"O chanceler Sartarelli veio até mim e disse:" Isso é maravilhoso, isso é algo que devemos fazer regularmente ", disse Beaudoin após o evento. "Isso é algo que todos os americanos devem testemunhar", finalizou.

Fonte: Brazilian Times

Top News