Publicado em 28/06/2017 as 8:00am

ENTREVISTA EXCLUSIVA: Mineira disputa cargo de vereadora em Everett

Stephanie Martins concorre pelo Distrito 2 e conta com o apoio da comunidade para ampliar sua campanha.

ENTREVISTA EXCLUSIVA: Mineira disputa cargo de vereadora em Everett Stephanie Martins quer promover a participação dos brasileiros na política norte-americana

Nascida em Belo Horizonte, a mineira Stephanie Martins, 28 anos, busca entrar na polícia norte-americana e dar mais voz ativa para a comunidade brasileira nos Estados Unidos. Ela esteve no país nos anos de 2002 e 2003 e o que deveria ser um passeio se tornou em uma descoberta incrível – a brasileira se apaixonou por tudo que conheceu.

Isso a motivou, em 2004, se mudar definitivamente para os EUA e, a princípio morou na cidade de Framingham (Massachusetts), onde concluiu a High School. Hoje, Stephanie é formada com um Bacharel em Governo da Division of Continuing Education, da Harvard University.

Ela mora em Everett (MA), onde trabalha como paralegal independente realizando trabalhos de imigração para um advogado de Boston. A mineira também atua como Realtor na Century 21 e Real Estate com o seu esposo.

Membro do Partido Democrata, Stephanie está concorrendo ao cargo de vereadora pela cidade de Everett e conversou com a reportagem do Brazilian Times. Bastante animada com o crescimento de sua campanha, ela falou sobre sua entrada na política e planos para o futuro.

Brazilian Times – Como aconteceu o seu envolvimento com a política nos Estados Unidos?

Stephanie Martins - O meu envolvimento na política começou na campanha da atual Procuradora do estado, Maura Healey, onde trabalhei para conectá-la com as comunidades latinas, escrever matérias, leva-la até as emissoras de rádios, entre outros serviços. Desde então, na Harvard, voluntariei-me em um programa chamado “Small Claims Advisory Services”, dando informações gratuitas de como abrir demandas de pequenas causas no Tribunal e como tutora de teste de Cidadania através do Citizenship Tutoring da Harvard Kennedy School. Na Harvard também organizei grandes eventos com as doze escolas através do Harvard Graduate Council. Também fiz intensivos de política em Washington DC, no Washington Center. Na política continuei me voluntariando em campanhas e atualmente sou a responsável trabalho do "Women's Caucus dos Young Democrats of Massachusetts". Fiz o Commonwealth Seminar que nos leva até o State House para aprender mais do processo legislativo e estou fazendo um curso no Emerge Massachusetts que escolhe e treina mulheres progressistas a terem cargos políticos.

BT – Com tantos cursos e atividades, como você definiria sua missão no momento?

SM - Uma das minhas maiores missões é promover a educação e participação política da nossa comunidade e para isso tenho trabalhado nas campanhas. Durante as eleições presidenciais fui a idealizadora do “Brazilians for Hillary” uma página no Facebook, que juntamente com o trabalho de Margareth Shepard e Márcia Cruz-Redding e vários líderes da comunidade, uniu mais de 2000 pessoas e conseguimos pela primeira vez levar brasileiros em massa para as urnas, explicar o processo eleitoral e educá-los sobre como participar no processo através de doações políticas e o voto.

BT – Por que decidiu se candidatar ao cargo de vereadora?

SM - Decidi me candidatar exatamente por perceber essa grande separação entre os órgãos públicos e a nossa comunidade. Somos muitos e ainda sim somos quase invisíveis porque muitos não participam. Por isso não há a conscientização dos benefícios e programas que a Cidade ou o Estado podem oferecer para a nossa comunidade e para todos. Everett tem mais de 40 mil pessoas e somente 2 a 4 mil votam e maioria é norte-americanos e somente eles têm se beneficiado e se preocupado em exigir seus direitos. Se andamos em Everett, nas ruas principais, maioria dos businesses é de brasileiros e eles não tem tido uma participação ou benefício qualquer na cidade. Estou concorrendo para dar uma voz aos eleitores. Não só os brasileiros, mas a todos. Quero estar lá para representar a voz das pessoas. Não tenho interesses pessoais e não é um trabalho que pague bem. É literalmente pela missão de promover um avanço com a participação de todos.

BT – Como está administrando a sua campanha e como se preparou para ela?

SM – É muito importante que mostremos a nossa força para sermos respeitados. Mas devemos lembrar que se candidatar a algum cargo político é muito mais do que acordar de manhã e fazer essa decisão. Requere preparação, um trabalho de estatística, análise de dados anteriores, números, etc. É através deste trabalho e da parceria de especialistas com experiência em campanhas que estou fazendo este trabalho e através desta informação estarei fazendo um trabalho de ligações e de bater de porta em porta, conhecendo e ouvindo as necessidades dos residentes da cidade. Embora esteja concorrendo para vereadora do meu distrito (2), as eleições são gerais e toda a cidade pode escolher os vereadores. Uma relação de dados nos fornece a informação de eleitores ativos e seus endereços e contato. Tenho estado também envolvida com trabalhos sociais em Everett com a comunidade haitiana, além do trabalho com jovens e outras comunidades. Meu trabalho político garantiu várias parcerias com senadores e deputados que apoiam a campanha.

BT – Sabemos que o eleitorado norte-americano tem a tradição de ajudar financeiramente os seus candidatos. Você está recebendo apoio da comunidade?

SM – Isso é muito importante citar e preciso muito do suporte financeiro dos residentes com Green Card e Cidadãos que possam colaborar. Embora os votos todos tenham que ser de Everett, doadores de todo o estado podem participar. Aqui infelizmente as campanhas vencedoras são as que levantam o maior número de fundos. Se queremos uma voz, temos que nos mobilizar e somente assim teremos líderes que olham pelos nossos interesses e protejam a nossa população, especialmente nos tempos atuais com a nova presidência.

CONTATO:

Para mais informações sobre a candidata ou saber a sua agenda, entre em contato através do e-mail stephanie.martins@stephaniemartins.com. Também foi aberta uma página no Facebook, onde pode-acompanhar o trabalho de Stephanie e fazer doações para a sua campanha: www.facebook.com/stephaniemartinseverett. “Todos podem ajudar, mobilizando amigos em Everett que votam, espalhando a notícia, curtindo a página e fazendo sua doação de $25, $50, $100, $200 ou até $1000”.

Fonte: Luciano Sodré