Publicado em 17/07/2017 as 4:00pm

Amigos falam que brasileiro é injustiçado ao ser acusado de abuso sexual em Dorchester (MA)

Um representante da Comcast é acusado de agredir sexualmente uma cliente em Massachusetts.

Amigos falam que brasileiro é injustiçado ao ser acusado de abuso sexual em Dorchester (MA) Amigos afirmam que Lucas foi vítima de uma armação

Um representante da Comcast é acusado de agredir sexualmente uma cliente em Massachusetts, enquanto trabalhava na casa dela, de acordo com documentos apresentados no Tribunal.

Conforme foi relatado pela Promotoria, o brasileiro Lucas Jordão, de 35 anos, teria se aproximado da mulher por trás, enquanto ela estava inclinada e brincando com seus filhos. Ele estava no local para fazer uma instalação da companhia que fornece serviços de televisão, telefonia e internet.

A suposta vítima afirmou que o brasileiro se aproveitou da posição que ela estava para agarrá-la por trás. “Eu exigi que ele saísse da minha casa imediatamente e ele se negou a sair”, relata a mulher.

Ao invés de sair, Lucas continuou a fazer a instalação e quando terminou, teria tentado abusar dela novamente, de acordo com os registros policiais. Ainda, de acordo com a denúncia, enquanto a suposta vítima tentava se esquivar do contato com o brasileiro, a mãe dela chegou e mandou que ele largasse a sua filha.

As duas procuraram a polícia para denunciar a tentativa de abuso sexual. Mais tarde, o brasileiro teria enviado uma mensagem de texto pedindo desculpas.

O advogado do brasileiro afirma que seu cliente é inocente. Em uma nota encaminhada à imprensa, a Comcast afirma que “leva muito a sério as denúncias sobre seus subcontratados e vai contribuir com as autoridades nesta investigação”.

A audiência sobre o caso do brasileiro aconteceu na sexta-feira, dia 14, e ele foi solto mediante o pagamento de uma fiança no valor de US$500.

Nas redes sociais, amigos do acusado saíram em sua defesa. Alguns criticaram a imprensa por expor o rapaz e afirmam que a história é mentira. Um internauta identificado por Japa Ferrari, disse que, pelo fato da mulher morar em Dorchester, uma região pobre e marginalizada, ela está apenas querendo uma indenização da Comcast. “Ela se aproveitou da situação para ferrar o coitado”. Ele ainda acrescenta que o lugar é conhecido por pessoas se jogarem na frente dos carros em busca de indenização. “O que esperar destas pessoas?”, indaga.

Eusa Clementino apoia o que Japa Ferrari falou que diz que sente pelo fato da mulher tentar prejudicar o Lucas, um homem que tem esposas e filhos. “Mas tudo vai ser esclarecido e os jornais vão ter que postar a inocência dele também”, afirma.

Josélia Oliveira fala que conhece o Lucas e sua família e “tem certeza que tudo é um mal entendido”. Ela acrescenta que o rapaz tem uma família maravilhosa e que as pessoas não devem julgar sem conhecer.

Sanderson Li, outro internauta falou mais sobre as armações que as pessoas fazem para evitar pagar por serviços. “Fiquem espertos, evite dar muita liberdade (atenção é diferente de liberdade) ao cliente para que ambos os lados. Não confunda as coisas ou interpretam mau. Já ouvi várias histórias assim, no final o cliente sai no lucro, com ameaça de levar para o tribunal, mas fica só na ameaça, só queria ganhar o serviço. Principalmente quando tem adolescente em casa. Muito cuidado. Infelizmente para alguns, o que vale é o dinheiro no bolso, o resto...”

Fonte: Redação - Brazilian Times