Publicado em 7/08/2017 as 4:00pm

MINAS GANHA ‘CELEIRO DE ATLETAS’

Projeto social criado por Somália, ex-atacante do América e do Fluminense, vai percorrer escolas mineiras para revelar novos craques do futebol.

Crianças e adolescentes de Minas Gerais que sonham em se tornarem jogadores de futebol têm, agora, uma inédita porta de entrada para clubes profissionais. Trata-se do projeto “Celeiro de Atletas”, iniciativa do ex-atacante Somália, com passagens por grandes times nacionais e do exterior, que pretende percorrer todos os municípios do Estado em busca de futuros jogadores.

O “Celeiro de Atletas” é um projeto social e esportivo itinerante com uma estrutura profissional que pretende dar oportunidades para meninos de 6 a 15 anos de idade, de todas as cidades mineiras, para mostrarem seu talento para o futebol. A ideia é fazer “peneiradas” em escolas de Minas Gerais e oferecer uma oportunidade inédita para crianças e adolescentes.

Em vez de receber crianças e adolescentes para testes, como acontece nos grandes clubes, o projeto de Somália vai ao encontro desses futuros jogadores. Com uma estrutura que inclui um ônibus e duas vans, além de uma comissão técnica formada por profissionais de várias áreas, a proposta de Somália é ir às escolas de Minas Gerais para descobrir novos talentos, numa iniciativa inédita que visa a combater a violência e a criminalidade, além de dar oportunidades para quem deseja se tornar jogador de futebol.

Esse trabalho, que conta com o apoio de vários clubes, empresas e entidades, é coordenado por Marcelo Buarque, que no Campeonato Mineiro de 2017 dirigiu o América de Teófilo Otoni, e conta com uma comissão técnica formada por preparadores e outros profissionais. Ex-jogador, Buarque já trabalhou como treinador nas categorias de base do Flamengo e outros clubes do Rio de Janeiro, como Nova Iguaçu, Serrano, Bangu, Volta Redonda, Portuguesa, Macaé e Serrano, entre outros, além do Botafogo (PB) e da seleção da Guatemala.

SONHO ANTIGO

O projeto é um antigo sonho do ex-jogador Somália, revelado pelo América-MG, onde foi campeão brasileiro da Série B em 1997, e com passagens por clubes como Fluminense (RJ), São Caetano (SP) e Feyenoord (Holanda), entre outros. Desde janeiro de 2012 Somália vinha trabalhando e desenvolvendo um projeto social na sua Associação Cultural e Esportiva Império da Sede (ACEIS), que culminou, em 2017, com a criação do “Celeiro de Atletas”.

Para Somália, é também uma forma de “unir o útil ao agradável”. “Queremos renovar a forma de testes para dar oportunidades aos verdadeiros atletas, que, desde a infância, sonham em se tornar jogadores profissionais, além de gerar empregos para profissionais como técnicos, supervisores, professores de Educação Física e até mesmo ex-jogadores, que atuarão como ‘olheiros’. Com o apoio de clubes e diversos parceiros, conseguimos criar esse projeto social e esportivo itinerante inédito, embalados pela confiança em dar um futuro melhor para crianças e adolescentes de Minas Gerais”, destaca o ex-artilheiro do América-MG e do Fluminense.

NA ESTRADA

Somália explica que, em cada escola visitada, será realizada uma palestra e apresentado um vídeo, mostrando a importância do esporte e a oportunidade criada pelo projeto “Celeiro de Atletas”. Na sequência, serão realizados testes de campo com as crianças e adolescentes, e os talentos garimpados, encaminhados a clubes parceiros, um dos quais o próprio América. “A criminalidade, a crise política e a desigualdade social vêm aumentando a cada dia, e em vez de perdermos nossas crianças e jovens para esse mundo da violência, damos oportunidades para que possam realizar seus sonhos. As principais armas que temos para ajudar a combater todas essas desigualdades são o esporte e a parceria”, completa o ex-jogador, que, com essa iniciativa, pretende ajudar também a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE).

A primeira “peneirada” já tem data marcada: dias 11 e 12 de agosto, no campo do Industrial Esporte Clube, em Timóteo, cidade vizinha a Coronel Fabriciano, onde mora a família de Somália. Depois, será a hora de pegar a estrada e levar o trabalho a todos os 853 municípios mineiros para “fazer a diferença”, como espera o criador do projeto.

O sonho de Somália vai além. Ele pretende fazer do “Celeiro de Atletas” um centro de socialização em tempo integral para a formação não só de jogadores de futebol, mas também de cidadãos, dando a crianças e adolescentes “um caminho para que possam viver com seriedade, justiça e respeito”.

A confiança de Somália no sucesso do seu projeto é reforçada pelo grande apoio que tem recebido já no início desse inédito trabalho. Entre outros parceiros, ele destaca o América-MG, o deputado estadual Alencar Silveira Júnior, presidente do clube da capital mineira, banco BMG, Unip-BH, Cemig, Wilma Alimentos, Volare, BH Supermercados e Volare. Vários jogadores profissionais e amigos do futebol também já aderiram ao projeto, entre os quais Vampeta, Ronaldinho Fenômeno, Paulo Isidoro, Amaral, Neymar, Max Lélis, Victor, Ronaldinho Gaúcho, Alex Silva, Luan, Fred, Romário, Diney, Fábio Jr., Donizete Pantera, Oséias, Kerlon Foquinha, Thiago Neves, Advan, Norberto e Fábio.

FARO DE GOL E DE TALENTOS

Atacante alto, esguio e oportunista, Wanderson de Paula Sabino ganhou o apelido de Somália nas categorias de base do América-MG. Nascido em Nova Venécia (ES), sua família radicou-se em Coronel Fabriciano, de onde ele ganhou o mundo correndo atrás da bola.

Por onde passou, Somália foi artilheiro e colecionou títulos, entre os quais os de campeão brasileiro da Série B (América-MG, 1997), campeão holandês (Feynoord, 1999), campeão paulista (São Caetano, 2004), campeão carioca da Série B (América, 2015), duas vezes vice-campeão da Copa Libertadores da América (São Caetano, 2002, e Fluminense, 2008) e vice-campeão paulista (São Caeatano, 2007).

Somália também foi artilheiro de importantes campeonatos, como o de São Paulo, em 2007 (São Caetano), com 13 gols; da Série B do Rio de Janeiro por duas vezes consecutivas (Duque de Caxias, com 14 gols em 2010 e oito, em 2011; da Série A do Rio de Janeiro (Boavista), com 12 gols, em 2012; da Taça Rio de 2012, com 10 gols.

O mesmo faro que tinha para fazer gols, Somália espera que tenha também agora para revelar novos craques para o futebol brasileiro, à frente do projeto “Celeiro de Atletas”.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News