Publicado em 8/09/2017 as 4:00pm

Brasileiro é esfaqueado horas depois de chegar aos EUA

Nascido e formado em Porto Alegre, Machado contou que não falou com o agressor antes ou depois da facada.

Brasileiro é esfaqueado horas depois de chegar aos EUA Mateus Machado deu detalhes da agressão.

O turista brasileiro esfaqueado por um homem desconhecido em New York deu detalhes sobre como ele foi atacado, em frente ao Trump International Hotel and Tower, perto do Central Park, numa das áreas mais movimentada de cidade. Em entrevista, o gaúcho Mateus Machado, de 23 anos, disse que estava fazendo uma foto do suntuoso prédio quando sentiu um esbarrão e, em seguida, percebeu que tinha sido ferido com uma faca nas costas, abaixo das costelas.

“Foi muito rápido. Parei na frente do Trump International Hotel, me escorei na grade para bater a foto. Quando estava saindo, dei uns cinco passos em direção ao Central Park. Veio um homem por trás de mim, me cravou uma faca e saiu correndo. A rua estava muito movimentada, vários turistas. Ninguém entendeu. Só fui dar conta quando levei a mão nas costas e fiquei com a mão ensanguentada”, relatou o advogado, três dias após ser internado hospital New York Presbyterian.

Nascido e formado em Porto Alegre, Machado contou que não falou com o agressor antes ou depois da facada. Policiais suspeitam que o homem seja um morador de rua. Assustado, o gaúcho só contou sobre o ataque para a mãe dois dias depois do incidente. Ele queria se certificar de que estava bem antes de falar com ela.

De acordo com o site do jornal Extra, Mateus ainda precisa passar por exames, mas diz que "está se recuperando bem". Ele estava em NY apenas algumas horas, à espera de uma conexão para Roma, na Itália, que partiria na noite daquele domingo. O advogado seguiria para um congresso em Braga, no Norte de Portugal. Mas preferiu não revelar de imediato à mãe a mudança forçada de planos.

“Eu falei para minha mãe só ontem (terça-feira), dois dias depois. Esperei para saber o que estava acontecendo. Eu continuava falando com ela, mas não mencionava (o ataque). Ela ficou bem angustiada (quando soube), mas eu continuo tentando tranquilizar. Está tudo sob controle”, ressaltou o brasileiro.

"Com a graça de Deus, agora está tudo bem. Logo o meu amado filho estará voltando", escreveu no Facebook Solange Martins, aliviada.

Apesar da melhora, o advogado conta que não há previsão de alta. Nas redes sociais, o jovem frisou que é "difícil buscar o porquê de ser esfaqueado imotivadamente". Ele também relatou a dificuldade de estar hospitalizado "do outro lado do mundo", longe das pessoas que ama. "Mesmo diante dessas circunstâncias, tenho que extrair o lado bom e agradecer por estar vivo e por ser rodeado de pessoas do bem", escreveu ao agradecer as manifestações de carinho.

De acordo com Mateus, a rua estava movimentada por vários turistas por volta de 13h30 no horário local (12h30m em Brasília). No momento do ataque, havia uma viatura da polícia na esquina. Os agentes e donos de food truck da localidade acudiram o brasileiro com lenços para enxugar o sangue até a chegada da ambulância.

“Fiz uma bateria de exames na hora que eu cheguei, e em nenhum momento foi falado em gravidade. Mas estou reagindo muito bem e continuo aqui por protocolo deles. Médicos brasileiros da minha família disseram que, se fosse no Brasil, eu provavelmente já teria alta. Tenho sido ouvido pela polícia todos os dias, mas não (o suspeito) não foi identificado”, recordou.

Fonte: Redação - Brazilian Times