Publicado em 13/09/2017 as 10:00am

Brasileira relata pavor vivido com o furacão Irma

Larissa Giusti relata o pânico vivido com a experiência de passar pelo primeiro furacão .

Brasileira relata pavor vivido com o furacão Irma Após proteger a varanda com tapumes, Larissa (ao centro) juntamente com familiares e amigos em Boca Raton

Há pouco menos de 1 ano o casal de paulistanos Larissa Giusti e Edmilson Mota, mudaram-se do Brasil para os Estados Unidos juntamente com a filha do casal Melissa, de apenas 6 anos de idade, em busca de qualidade de vida para a família. Para iniciarem sua trajetória nos EUA o casal escolheu um apartamento em um condomínio na cidade de Boca Raton (Flórida) para morarem.

Mesmo tendo vindo de uma metrópole como São Paulo, uma das maiores cidade do mundo, onde a rotina da família já era corrida e muitas vezes perigosa devido ao histórico de violência da cidade, o casal nunca imaginou passar por momentos de pânico na Flórida, como ocorreu nos últimos dias com a expectativa da passagem do furacão Irma pelo estado. “Foi horrível... As prateleiras dos supermercados da região estavam vazias, não havia combustível nos postos de gasolina. Parecia que estávamos em meio a uma guerra”, relembra Larissa.

Árvores foram bruscamente arrancadas.

Mesmo em meio ao medo que antecedeu a chegada do furacão, o casal decidiu manter-se na Flórida e abrigar amigos e familiares em seu apartamento. “Decidimos não sair de casa, pois não sabíamos até onde conseguiríamos chegar com a gasolina que tínhamos no carro. Fizemos os procedimentos de segurança, colocando placas de madeiras na varanda do apartamento, abastecemos o que conseguimos no supermercado e ficamos em casa com fé em Deus que tudo ficaria bem”, relata Larissa.

A brasileira conta que a tensão que precedeu a passagem do furacão foi tão grande, que abalou o seu emocional a ponto de passar mal. “Aquela tensão toda do que podíamos fazer para nos resguardarmos fez com que a minha gastrite atacasse, fiquei angustiada e entrei em pânico... Nunca imaginei passar por isso”.

Essa foi a visão que os moradores de uma dos condomínios de Boca Raton tiveram na manhã de domingo, dia 10.

Larissa conta que na madrugada de sábado para domingo (do dia 9 para o 10) ouviu forte barulhos em seu apartamento, que pareciam móveis se arrastando bruscamente no andar de cima. “Era um barulho muito forte... Mesmo sabendo da possibilidade do furacão, achei que era a vizinha arrastando móveis no andar de cima, só tive a noção que ali já eram os indícios do Irma, no dia seguinte. Desci para o andar térreo do condomínio e me deparei com uma verdadeira cena de filme de terror... As árvores estavam no chão, arrancadas com raiz e tudo... Perdemos nosso carro, pois uma das árvores caiu em cima dele, mas graças a Deus minha família e meus amigos estão bem e com vida”, relata emocionada.

Família tampou as janelas do apartamento e abasteceu a casa com água.
Melissa, filha do casal Larissa e Edmilson, ao constatar os estragos no estacionamento do condomínio em que a família reside.

 

 

Fonte: Redação - Brazilian Times