Publicado em 22/09/2017 as 2:00pm

Mineiro entra em coma após cair de escada em Cambridge (MA)

Alair sofreu várias fraturas em diversas partes do corpo, inclusive teve sete partes da coluna fraturadas.

Mineiro entra em coma após cair de escada em Cambridge (MA) A pedido da família, não mostraremos o rosto de Alair.

Na manhã de quinta-feira, dia 14, parecia mais um dia normal na vida de Alair Junior dos Santos, 37 anos. Mineiro de Governador Valadares, ele é solteiro, está nos Estados Unidos há um ano e meio e mora com um cunhado na cidade de Marlborough (Massachusetts). No dia em que sua vida sofreu uma mudança drástica, ele saiu cedo para pintar uma casa na cidade de Cambridge (MA).

O mineiro estava ao lado de fora do imóvel em uma escada, pintando o terceiro andar, há uma altura de quase 9 metros. Em determinado momento ele se desequilibrou e caiu. No local havia outro funcionário da companhia que ele trabalhava, mas foi a dona da casa que acionou o número de emergência.

Quando os paramédicos chegaram ao local, Alair estava inconsciente e foi levado, às pressas, para o Beth Israel Hospital, em Boston. Estas informações foram obtidas, com exclusividade, pela reportagem do jornal Brazilian Times que entrou em contato com um parente do mineiro que preferiu omitir seu nome.

De acordo com ele, a companhia em que o brasileiro trabalhava ainda não se manifestou e tampouco ofereceu qualquer ajuda financeira para as despesas do hospital. “Mas um advogado já entrou em contato para ajudar com os direitos de Alair”, disse.

O mineiro está na UTI, em coma desde o dia do acidente, e de acordo com os médicos a situação é gravíssima. Ele sofreu uma perfuração no pulmão, no fígado, teve um baço retirado, quebrou dois braços e uma perna, fraturou os cotovelos e quebrou uma costela.

Mas o pior foi ter sete partes da coluna fraturadas e de acordo com o parente, os médicos estão sendo bastante cautelosos fazendo de tudo para não ter que operar. “O medo é que ele não volte a andar”, se emociona. “Diante de tantas partes fraturadas, graças a Deus que ele não bateu a cabeça na calçada, pois poderia morrer”, continua.

O BT perguntou se haverá alguma campanha para ajudar com as despesas do hospital, mas o parente afirmou que ainda é cedo para pensar nisso. “Agora, nossa atenção está voltada para ele, para que possa voltar a viver normalmente”, finaliza.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News