Publicado em 11/10/2017 as 8:00am

Ativista brasileiro critica presença de Bolsonaro nos EUA

Para Álvaro Lima, o deputado federal não têm qualidades para ser presidente do Brasil.

Ativista brasileiro critica presença de Bolsonaro nos EUA Álvaro, à esquerda, ataca presença de Bolsonaro nos EUA.

Um dos mais respeitados ativistas na comunidade brasileira em Massachusetts, Álvaro Lima criticou a visita do Deputado Federal e presidenciável Jair Bolsonaro aos Estados Unidos. Em uma publicação bastante polêmica em sua página nas redes sociais, ele afirmou que não havia motivo para que as pessoas fossem ao encontro com o político.

Jair Bolsonaro iniciou sua turnê na Flórida e nesta terça-feira, dia 10, ele esteve no Clube Lido, na cidade de Revere (Massachusetts). Na ocasião, ele contou um pouco de sua luta contra a corrupção na política brasileira e respondeu as mais variadas perguntas.

Mesmo com uma grande parte da população brasileira que vive no exterior apoiar Bolsonaro em uma possível corrida rumo a Presidência do Brasil, o ativista Álvaro Lima está no grupo que não aceita o militar como presidente. Para isso, ele enumerou alguns pontos que acredita serem fatores preponderantes para desqualificar o deputado para disputar as eleições.

Álvaro afirma que entre os defeitos de Bolsonaro está o fato dele elogiar deforma franca a violenta ditadura militar do Brasil, “que matou milhares de pessoas ao longo do seu curso de 21 anos, e negou aos cidadãos brasileiros o direito de votar”.

O ativista também cita que o deputado tem elogiado Carlos Alberto Brilhante Ustra, o Coronel do Exército responsável por torturar prisioneiros políticos, incluindo a ex-Presidente Dilma Rousseff, durante a ditadura. “Bolsonaro, em uma tentativa de interromper uma visita da ‘verdade comissão’ (que investiga os crimes perpetrados pelos militares durante a ditadura) para a sede da agência de inteligência da ditadura (DOI / CODI), empurrou e bateu no colega deputado Randolfe Rodrigues e mais tarde gabou-se sobre o fato na mídia”, disse.

O presidenciável causou polêmica ao atacar movimentos LGBT e opõe-se aos direitos indígenas, dizendo que estes povos não contribuem para a economia e, portanto, não devem ser concedidos às suas terras ancestrais. “Ele foi condenado por difamar as comunidades afro-brasileiras, tendo dito numa palestra que " eles nem sequer são bons o suficiente para procriar”, continua.

Álvaro acusa Bolsonaro de ter se referido aos refugiados e imigrantes como "a escória do mundo" e que o deputado é um antifeminista e disse que as mulheres deviam ganhar menos do que os homens porque podem ficar grávidas.

O OUTRO LADO

Na publicação de Álvaro Lima ficou claro que o pensamento da comunidade brasileira em relação a Bolsonaro é outro. Grande parte comentou que está com o deputado e anseiam vê-lo como Presidente do Brasil. Para eles, o político é o melhor nome no momento para colocar o Brasil no caminho certo e se afastar da corrupção que foi revelada e domina as classes políticas.

Fonte: Redação - Brazilian Times