Publicado em 25/10/2017 as 5:00pm

Brasileiro diz que foi vítima de golpe na Universal Studios, em Orlando (FL)

Ele também critica os “fofoqueiros de plantão” que espalharam a notícia e o criticaram sem saber o que aconteceu.

Brasileiro diz que foi vítima de golpe na Universal Studios, em Orlando (FL) Imagem extraída do vídeo de Matheus.

O catarinense Matheus Marques Lopes divulgou um vídeo em sua página no Facebook onde repudia a ação de funcionários e seguranças do Universal Studios, em Orlando (Florida). Ele, cita que no dia 19 foi vítima de uma armação.

De acordo com Matheus, ele foi visitar o parque da Universal, acompanhado de uma pessoa identificada como Gaby. Os dois entraram em várias lojas e como todo turista, brincaram e comprou produtos e lembranças vendidas no local. “Mas infelizmente eu caí em um golpe”, fala ressaltando que depois de passar por várias lojas, entrou em outra e quando estava dentro, deixou as sacolas no chão. “Eu fui experimentar uma roupa e quando voltei, peguei as sacolas e fui ao caixa pagar pelo que tinha comprado”, fala.

Quando ele saiu da loja, foi abordado por duas moças que, de acordo com o brasileiro, enfiaram a mão dentro da sacola e o acusaram de furto. “Não sabia se eram policiais ou seguranças, mas achei estranho elas já colocarem as mãos dentro da sacola e mostrarem produtos que não estavam lá”, afirma. “Elas falaram que eu não tinha pago por aqui e que eu estava roubando e que eu teria que acompanhá-las até uma salinha para um interrogatório e checagem das minhas compras”, continua.

Matheus ressalta que ficou bastante assustado com o que estava acontecendo e que as suas sacolas não foram abertas na frente dele e que as seguranças retiraram as notas e produtos. “Todos foram muito rudes comigo. Eles me cobraram a quantia de $1,500 para me liberarem e falaram que se eu não pagasse, chamariam a polícia”, afirma.

Quando as seguranças falaram em cobrar para liberá-lo, o brasileiro solicitou a presença da polícia. “Elas chamaram, mas quando os oficiais chegaram ao loca, não permitiram que eles falassem comigo. Simplesmente me acusaram de roubo. Eu fui algemado e lavado para a delegacia de Orlando, onde passei a noite”, continua.

Matheus relata que foi tratado muito mal e que ninguém falava português e com o nervosismo, ele não conseguiu se comunicar com os policiais. “Mas na delegacia, quando eu clamei a Deusa por ajuda, uma policial que falava o meu idioma chegou até mim e pude desabafar. Foi então que ela me contou que este tipo de coisa é comum acontecer, principalmente com brasileiros”, fala ressaltando que se trata de um esquema onde pessoas, combinadas com seguranças, colocam produtos nas sacolas de terceiros para depois cobrar propina para liberá-los, sob ameaça de envolver a polícia na história.

O brasileiro disse que já entrou em contato com o Consulado Brasileiro e tão logo voltar ao Brasil, vai acionar um advogado para processar a Universal.

BOATOS

Além de ter passado por tudo isso, Matheus fala que tem sido alvo de “fofoqueiros de plantão” que não sabem da história e compartilham o caso de maneira distorcida. Ele ressalta que foram os boatos que o motivaram a gravar o vídeo. “Algumas pessoas chegaram a comentar que ele estava acompanhado de um pastor e que teria roubado uma loja de roupas. “As mentiras foram tantas que até disseram que ainda estou preso e que não posso mais voltar ao Brasil. Isso é lamentável, porque os boatos chegaram aos meus familiares e deixaram muitas pessoas preocupadas”, fala. “Eu estou livre e voltarei ao Brasil no mês que vem”, segue.

Fonte: Redação - Brazilian Times