Publicado em 15/11/2017 as 9:00am

Conferência de Bispos dos EUA pede reforma imigratória

A proposta foi apresentada, primeiramente, por Michael Sheehan, arcebispo emérito de Santa Fé (Califórnia).

Conferência de Bispos dos EUA pede reforma imigratória O Arcebispo Jose Gomez

Com a conclusão de uma longa discussão sobre imigração, a Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos decidiu, na segunda-feira (13), redigir uma declaração expressando a necessidade de uma reforma imigratória e humana no país.

A proposta foi apresentada, primeiramente, por Michael Sheehan, arcebispo emérito de Santa Fé (Califórnia). Depois de debater a forma como preparar uma declaração, foi acordado que o Cardeal Daniel DiNardo, de Galveston-Houston (Texas), presidente da Conferência, emitiria uma carta com a assistência do Comitê de Migração, presidida pelo bispo Joe Vasquez, de Austin (TX), auxiliado pelo arcebispo Jose Gómez, de Los Angeles (CA).

O arcebispo Jose Gómez delineou os princípios que orientam o trabalho dos bispos dos EUA sobre a imigração, que vem de Strangers No Longer, uma carta pastoral de 2003, emitida conjuntamente pelas conferências dos bispos dos EUA e México.

"Este é um momento em que os recém-chegados [aos EUA] estão fugindo de violência ou perseguição e não conseguem encontrar meios de sobreviver em seu próprio país", refletiu, acrescentando que a administração Trump deu vários passos contra a imigração que exigem uma resposta imediata da Igreja porque eles "têm um impacto direto na nossa pastoral de imigrantes, refugiados e jovens do DACA".

A primeira delas é a decisão de permitir apenas 45 mil refugiados no próximo ano fiscal - o nível mais baixo desde a fundação do programa, em 1980, e o segundo ano consecutivo em que o número de refugiados admitidos será reduzido.

O arcebispo Gomez disse: "é simplesmente desumano, particularmente quando nossa grande nação tem os recursos e a capacidade de fazer mais por aqueles que fogem da tirania e da perseguição".

Ele exortou a preservação do DACA, que proporciona indulto da ameaça de deportação para pessoas indocumentadas que chegaram aos EUA quando eram menores de idade, muitas das quais só conhecem os EUA "e fazem parte da juventude norte-americana".

O bispo Vasquez então falou que os bispos estão defendendo uma solução para os jovens da DACA sob a forma do DREAM Act, que proporcionaria aos jovens a residência legal nos EUA.

Ele encorajou os bispos a entrarem em contato com seus legisladores para aprovar o DREAM Act ou uma legislação similar como uma solução rápida e humana, observando que 85 por cento dos “Dreamers” vivem nos Estados Unidos há 10 anos ou mais, 89 por cento têm emprego remunerado e 93 por cento têm um grau de ensino médio.

O Bispo de Austin também abordou o status de proteção temporária, que foi estendido aos migrantes de El Salvador, Honduras e Haiti devido a condições agudas de insegurança em seus países de origem. "Não é o momento adequado para deportar 300 mil pessoas para seus países de origem quando eles permanecem inseguros devido a desastres naturais e causados pelo homem”, disse ele. “Esses indivíduos têm empregos e sustentam suas famílias, muitos têm hipotecas e têm filhos (270 mil) que são cidadãos dos EUA”.

Fonte: Redação - Brazilian Times