Publicado em 1/12/2017 as 5:23am

Personal brasileira é encontrada morta em Newark (NJ)

A suspeita inicial é de que ela teria cometido suicídio, devido às publicações feitas em sua página no Facebook.

Personal brasileira é encontrada morta em Newark (NJ) Ana era uma pessoa muito querida na comunidade.

A comunidade brasileira em Newark (New Jersey) acordou mais triste na manhã desta quinta-feira, dia 30 de novembro. O motivo é que a personal trainer mais conhecida na região foi encontrada morta em seu apartamento na noite do dia 29. Ana Randall, 45 anos, morava nos Estados Unidos há quase 20 anos e atualmente residia em East Rutheford.

De acordo com as informações, o corpo dela foi encontrado pelo ex-namorado, o norte-americano Eli. Apesar da separação, os dois mantinham um relacionamento de amizade.

O Brazilian Times conversou com alguns amigos que viviam próximos à Ana Trainer como era mais conhecida. Sob pedido de não ter o nome revelado, uma amiga afirmou que ela nas últimas semanas vinha dando fortes indícios de depressão e estava muito triste. Uma noite antes de ser encontrada morta, ela escreveu em sua página no Facebook que “sentiria saudades de todos, especialmente de seus clientes”.

Ana mantinha uma academia de ginástica no condomínio Carmem Court e a morte dela abalou a comunidade. “Ela era uma pessoa alegre, animada, profissional e sempre nos incentivou a treinar para manter um estilo de vida saudável”, escreveu um cliente no Faebook.

Ela também relatou que sofria de fortes dores na coluna e que seu seguro de saúde não cobria o tratamento e nem uma cirurgia. No final de semana passado ela teria comentado o assunto com seus seguidores no Facebook e disse estar “cansada de lutar contra o seguro de saúde e contra o governo para afastar as dores”.

Quem segue as redes sociais de Ana pode ler na segunda-feira, dia 27, quando ela escreveu que não conseguiu caminhar devido às dores, disse que se sentia um lixo e anexou uma imagem que dizia “que percebeu que parou de viver e que sua luta é tentar chegar ao dia seguinte”.

A suspeita inicial é que ela tenha tirado a sua vida usando um fio de telefone para se asfixiar. Ana tinha uma filha que morava no Brasil, bem como os demais familiares, e não tem nenhum parente nos Estados Unidos. Os amigos estão se unindo para levantar dinheiro e cobrir os custos funerários e ajudar a mãe a conseguir um Visto de Emergência para que ela possa se despedir da filha.

Ainda não foi informado como será o funeral, pois de acordo com amigos, Ana, que é natural do Amazonas, sempre dizia que não queria seu corpo enviado ao Brasil caso morresse. Dante disso, existe a possibilidade dela ser cremada ou sepultada em solo estadunidense. Até o fechamento desta edição nenhuma campanha havia sido iniciada para levantar o dinheiro.

O INIMIGO QUE NINGUÉM VÊ

Apesar de não estar confirmado, a morte de Ana pode ter sido suicídio devido à depressão, uma doença que está presente na sociedade e ninguém vê. Ela apresenta um conjunto específico de sintomas e comportamentos discrimináveis que a diferenciam de outras neuroses: insônia ou sono demais, apatia, falta ou aumento de apetite, falta de concentração, desânimo.

O diagnóstico da depressão é particularmente importante, em vista da complicação letal que é quase especificamente próprio dessa síndrome: o suicídio.
Normalmente, os deprimidos procuram ajuda por não mais sentirem amor pelos membros de sua família ou por terem perdido o gosto pela vida. Às vezes, os deprimidos podem vivenciar apatia, mas não consegue ter consciência de sua tristeza.

O Brazilian Times alerta para que o leitor fique atento aos seus amigos e familiares. Prestem atenção, pois se apresentarem alguns dos sintomas, a sua atitude deve ser a de ajudar e não se afastar.

SINTOMAS: Tristeza, culpa, vergonha, aumento da dependência, pensamentos absolutistas (Tudo ou Nada), dificuldades de concentração e memória, passividade, evitação e inércia, déficit nas aptidões sociais, distúrbios do sono, distúrbios do apetite e sexuais, entre outros.

Fonte: Redação - Brazilian Times