Publicado em 8/01/2018 as 4:00pm

ENQUETE: Brasileiros falam sobre expectativas para 2018

O ano de 2017 foi marcado por um forte aquecimento em torno dos debates sobre as questões...

ENQUETE: Brasileiros falam sobre expectativas para 2018 A cantora Wilza Peres.

O ano de 2017 foi marcado por um forte aquecimento em torno dos debates sobre as questões imigratórios, além da forte política imposta pelo presidente Donald Trump contra a imigração ilegal. Centenas de brasileiros foram deportados, mas milhares ainda permanecem no país, trabalhando, investindo e sonhando com dias melhores.

O Brazilian Times conversou com algumas destas pessoas para saber como eles avaliam o ano que passou e o que esperam para este ano se inicia.

O fotógrafo José Assis, natural de Minas Gerais e reside nos Estados Unidos há 12 anos, disse que o aperto nas políticas de imigração “realmente foi a marca para a comunidade imigrante”. Ele, que também atua como segurança e mora em Boston (Massachusetts), destaca que apesar das perseguições aos imigrantes, os EUA cresceram economicamente e teve a sua infraestrutura fortalecida.

Já para este ano, ele espera que a comunidade brasileira possa se unir mais e que a “perseguição imposta por Trump no ano passado, possa se tornar uma reforma imigratória”. Ele defende que os imigrantes que constituíram famílias, trabalham e contribuem para o crescimento do país devem ser vistos com outros olhos. “Nós fazemos parte da mola propulsora que movimenta os EUA”, afirma.

A corretora de imóveis, Vanessa Nixon, mora em Framingham (MA) e é natural do Rio de Janeiro. Para ela, 2017 foi um ano perfeito, onde cresceu como profissional e conseguiu realizar alguns dos seus maiores projetos.

A corretora Vanessa Nixon.

Ela, que mora há 20 anos nos EUA, acredita que 2018 será um ano de muitas novidades positivas para a comunidade imigrante. “Mas as pessoas não devem ficar com braços cruzados esperando que as coisas aconteçam. Temos que correr atrás, porque tudo está difícil”, finaliza.

Para Emerson Francisco Costa, ou DJ Boris, 2017 também foi um ano de muitas conquistas. Ele destaca que tanto para o trabalho quanto para a comunidade brasileira muitas realizações foram realizadas. Natural do Rio de Janeiro, ele mora em Hudson (MA) e afirma que o ano de 2018 vai proporcionar muitas novidades para quem correr atrás de seus ideais.

Há 16 anos morando nos Estados Unidos, Boris é um dos DJ´s mais consagrados na comunidade brasileira e acredita que o único problema que os imigrantes continuarão a enfrentar é a política agressiva do presidente Donald Trump. “Infelizmente acho que nada vai mudar”, afirma.

DJ Boris espera muitas novidades em 2018.

Há 19 anos nos Estados Unidos, a mineira de Ipatinga, Wilza Peres, teve um ano de 2017 de muitas realizações. Ela o seu nome em evidência e se apresentou em grandes casas de shows brasileiros na região de Massachusetts. “Apesar dos muitos obstáculos, graças a Deus vencemos”, fala.

Para 2018, Wilza espera realizar o sonho de gravar o seu primeiro CD e manter-se em evidência no cenário artístico brasileiro nos EUA. “Para isso temos que promover um trabalho de qualidade e atender aos desejos nossos fãs”, finaliza.

O músico Ronaldio Israel quer fortaceler as amizades em 2018.

O músico Ronaldo Israel também tem grandes motivos para celebrar a passagem de 2017. Ele, que é natural de Criciúma (Santa Catarina), está há 17 anos nos Estados Unidos e destaca que conseguiu muitas conquistas no ano que passou.

Para 2018, o artista quer colher os frutos que nascerão das sementes que plantou. “Meu maior desejo é que minhas amizades se fortaleçam e que Deus continua dando paz e saúde a todos, pois mesmo diante das dificuldades, isso é o mais importante”, finaliza.

O fotógrafo José Assis.

 

Fonte: Redação - Brazilian Times