Publicado em 17/01/2018 as 2:00pm

Mulheres que viajam para os EUA para ter filhos estão na mira das autoridades

Há algumas semanas, este noticioso vem relatando caso de brasileiras que moram no Brasil, mas...

Mulheres que viajam para os EUA para ter filhos estão na mira das autoridades Oficiais chegam a um hotel visado pela operação.

Há algumas semanas, este noticioso vem relatando caso de brasileiras que moram no Brasil, mas optam por ter seus filhos nos Estados Unidos. Chamado de “Turismo de Maternidade”, cujo o termo utilizado é “bebês âncoras”, esta prática chamou a atenção das autoridades, pois mulheres de todo o mundo aderiram a opção de ter um filho cidadão norte-americano.

Recentemente agentes federais realizaram uma operação que visou 20 “hotéis de nascimento”, em três condados da Califórnia. O objetivo da operação tinha como objetivo revelar os autores intelectuais por trás de todo o esquema que cobram para preparar todo o terreno para que mulheres de outros países possam ter seus filhos em terras estadunidenses.

De acordo com as informações, o esquema cobrava até US$100 mil por pessoa, colocando as mulheres em “hotéis de nascimento” de luxo.

A imprensa acompanhou os agentes do Homeland Security Investigation (HSI) em uma batida no The Carlyle, uma propriedade de luxo em Irvine (CA). O estabelecimento abrigava mulheres grávidas e mães novas.

De acordo com o relatório, um agente especial de HSI, Claude Arnold, disse: "Não é necessariamente ilegal vir para os EUA para ter o bebê, mas se você mentir sobre as razões que está vindo aqui, isso é fraude de visto".

Aparentemente, a lista é longa e em sites chineses, existe uma listagem com centenas de "hotéis de nascimento" para escolher.

Nenhuma das mulheres encontradas na operação foi presa, mas elas estão sendo tratadas como testemunhas.

O relatório diz ainda que “a investigação visa os cabeças deste esquema que embolsam centenas de milhares de dólares para ajudar imigrantes a obter vistos e depois acompanhá-las até serem entregues em um hospital americano”.

De acordo com os relatos, existe até conselhos sobre como esconder a gravidez durante a viagem e dicas sobre como se comportar no país. Os hotéis abordados pelos agentes federais foram nos condados de Los Angeles, Orange e San Bernardino.

Ainda, conforme o relatório, mais de 400 recém-nascidos foram vinculados ao esquema em apenas um hospital por um período de dois anos.

Um relatório divulgado pela NBC News afirmou que havia uma empresa sob o nome de USA Happy Baby, que era dirigida por Michael Wei Yueh Liu e Jing Dong, instalados nos apartamentos do The Reserves, em Rancho Cucamonga.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News