Publicado em 26/01/2018 as 9:00am

Brasileira acusada de matar o marido tem fiança de US$10 milhões

A brasileira Cláudia Hoering, que é acusada de matar o seu marido em 2007, apareceu no dia 19,...

Brasileira acusada de matar o marido tem fiança de US$10 milhões Cláudia em sua primeira audiência de julgamento.

A brasileira Cláudia Hoering, que é acusada de matar o seu marido em 2007, apareceu no dia 19, em um Tribunal no Condado de Trumbull, em Ohio. Com os cabelos brancos, ela ouviu a sua acusação e teve uma fiança estipulada no valor de US10 milhões, a pedido dos Promotores.

Conforme já foi relatado no Brazilian Times e em outros veículos de comunicação, Cláudia fugiu para o Brasil depois de, supostamente, ter assassinado o marido, Karl Hoering, um piloto das forças aéreas dos Estados Unidos. Depois de um longo processo no Brasil, ela foi extraditada para este país onde foi indiciada por assassinato agravado com uso de arma de fogo.

Cláudia teve um Defensor Público nomeado para assumir o seu caso, o qual apresentou um argumento de que a acusada é inocente.

Familiares, amigos e apoiantes de Karl Hoerig foram até a audiência na sexta-feira e o grupo chamado de Justice for Karl acumulou mais de 3.000 pessoas no local.

Aind ana sexta-feira, o grupo 910th Airlift Wing disse que a justiça está sendo feita e escreveu que “desde 2007, os seus membros, juntamente com muitos moradores do Mahoning Valley, aguardavam ansiosos a extradição da suposta assassina do Major Karl Hoerig, da Força Aérea dos EUA”.

Cláudia sendo escoltada por agentes federais na entrada do tribunal.

Todos comemoram que após 11 anos, os esforços incansáveis de muitos dos parceiros do grupo, incluindo legisladores federais e estaduais, órgãos de aplicação da lei, meios de comunicação locais e nacionais, bem como inúmeros outros, resultaram em justiça, já que a acusada pelo crime finalmente foi devolvida os Estados Unidos para responder criminalmente.

De acordo com a denúncia Claudia atirou em seu marido várias vezes dentro da casa do casal, na 9th Street em Newton Falls. Os promotores afirmam que ela sacou todo o dinheiro de contas bancárias do casal antes de fugir para o Brasil, tentando escapar de acusação, nos últimos 10 anos.

Em uma luta de uma década, procuradores locais, legisladores, entre outras pessoas conseguiram fazer com que Hoerig fosse extraditada para os Estados Unidos.

Após a audiência de sexta-feira, Procurador do Condado de Trumbull, Dennis Watkins, e representantes do FBI, do Departamento de Estado e agentes federais dirigiram-se à multidão que estava do lado de fora para falar sobre o esforço da equipe que levou para trazer Claudia para ser julgada. "Foi um processo longo, difícil, muitas vezes frustrante para todos os envolvidos, incluindo o promotor e a família. Mas estamos aqui hoje por causa desses esforços coletivos ", disse o Agente Especial do FBI, Stephen Anthony.

O juiz Andrew Logan estabeleceu algumas condições para que Claudia deposite a fiança, o que incluiu a mudança nos passaportes e a monitoração eletrônica. Ela também ficaria limitada a transitar apenas no Condado de Trumbull.

A brasileira voltará ao tribunal novamente para um pré-julgamento em 6 de fevereiro.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News