Publicado em 29/01/2018 as 9:00am

Secretária-adjunta do DHS está otimista com plano de imigração de Trump

A Secretária-adjunta do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (DHS, sigla em...

Secretária-adjunta do DHS está otimista com plano de imigração de Trump A Secretária Adjunta do DHS, Elaine Duke.

A Secretária-adjunta do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (DHS, sigla em inglês), Elaine Duke, disse que está otimista em relação ao Congresso abraçar a proposta de reforma imigratória do presidente Donald Trump. “Ela (proposta) atende às necessidades de segurança fronteiriça do país, embora reconheça o desafio da agência de ter que encontrar a ‘combinação correta’ de mão-de-obra, um muro na fronteira e mais tecnologia”, afirmou.

Na sexta-feira, dia 26, Elaine destacou que “está absolutamente otimista” e que a proposta é a solução do que o país precisa”.

O Senador Tom Cotton (R-Arkansa) afirmou que a proposta do presidente é generosa e humana, ao mesmo tempo que é responsável. Mesmo com uma boa aceitação, o plano enfrenta um desafio árduo no Capitólio, onde alguns democratas e republicanos estão tentando aprovar sua própria legislação.

Na noite de sábado, 27, o presidente Donald Trump expressou suas dúvidas sobre se os democratas estavam interessados na segurança das fronteiras. "Os democratas não estão interessados em segurança de fronteira ou no financiamento e apoio aos nossos militares. Eles só estão interessados em obstrução", escreveu em seu Twitter.

Na semana passada, o Congresso bloqueou o governo federal por três dias depois de não ter aprovado um projeto de lei de gastos vinculados às demandas dos democratas para estender proteção para jovens imigrantes indocumentados.

O plano preliminar da administração Trump segue em grande parte a sua plataforma firmemente baseada em "quatro pilares" que exige: segurança de fronteira aprimorada; proteger os imigrantes trazidos ilegalmente para os Estados Unidos quando eram crianças; impedir imigrantes naturalizados ou com Green Card de trazer pais ou outros membros da família para o país; e terminar com o programa baseado em loteria que promove a diversidade e concede Green Card.

Além disso, o plano, que está programado para ser oficialmente revelado nesta segunda-feira, exige um fundo de US$ 25 bilhões para pagar a construção de um muro na fronteira dos EUA com o México e um caminho para a cidadania para cerca de 1,8 milhão de imigrantes indocumentados.

Esse número está além dos estimados 700 mil jovens imigrantes que podem ser deportados após o cancelamento do DACA, previsto para 05 de Março.

O plano também pede dinheiro para contratar novos agentes de imigração - incluindo advogados para o ICE, juízes e Procuradores de imigração - em meio a reclamações sobre mão-de-obra insuficiente para proteger as fronteiras e impor leis de imigração.

Fonte: Redação - Brazilian Times