Publicado em 9/03/2018 as 3:00pm

'Parem de brincar com nossas vidas!', pedem 'dreamers' ao Congresso dos EUA

"Parem de brincar com nossas vidas!", "Queremos uma solução permanente!", pediram jovens...

"Parem de brincar com nossas vidas!", "Queremos uma solução permanente!", pediram jovens "dreamers" em vários protestos ao Congresso dos Estados Unidos, ao chegar nesta segunda-feira (5) a data eleita pelo governo de Donald Trump para o fim do programa que os protege da deportação.

Mas o fim definitivo do Daca está em suspenso. Duas sentenças de juízes da Califórnia e Nova York suspenderam temporariamente a decisão de Trump de acabar com este programa que protege da deportação quase 700 mil jovens imigrantes que chegaram ao país sem documentos quando eram crianças.

O governo federal apela de ambas as sentenças ante tribunais de segunda instância, depois que a Suprema Corte negou seu pedido de se pronunciar sobre o assunto diretamente.

"É 5 de março e os democratas não fizeram nada sobre o Daca. Demos seis meses a eles, simplesmente não se importam. Onde estão? Estamos prontos para fazer um acordo!", tuitou o presidente nesta segunda.

Mas os democratas culpam os republicanos pela falta de acordo sobre o "Dream Act", a legislação que permitiria a esses jovens ficar nos Estados Unidos permanentemente.

O plano de Trump contempla a legalização dos quase 700 mil "dreamers" e de outros 1,1 milhão de jovens imigrantes na mesma situação, mas exige fundos adicionais para construir um muro na fronteira com o México, contratar mais policiais migratórios e endurecer a política de imigração aos Estados Unidos.

"O Congresso não se decide, não sabe o que fazer conosco. Dizem uma coisa e saem com outra. Peço que não brinquem com as nossas vidas", disse à AFP Lizbeth Huitzil, uma mexicana de 19 anos, em um pequeno protesto em frente à Trump Tower.

"Façam seu trabalho. Aprovem um 'Dream Act' limpo!", sem condições em troca, acrescentou.

"Fingir que este prazo do Daca não chega com urgência e temor para os 'dreamers' é ignorar o impacto real e humano que essa crise fabricada tem sobre eles e suas famílias", tuitou o representante democrata Joe Kennedy III.

"O presidente Trump rejeitou todos os nossos esforços. É hora de permitir que o Congresso resolva a crise que ele criou", afirmou em espanhol em sua conta no Twitter a senadora da Califórnia Dianne Feinstein (democrata).

Um total de 87 manifestantes foram presos por desobediência civil perto do Congresso, em Washington, informou a Polícia do Capitólio.

A imigrante mexicana Alexandra Gonzalez, de 21 anos, marchou até o Congresso com mais 200 pessoas segurando um cartaz com uma foto de seu primo Edder Sánchez.
"Foi preso em Atlanta e seu Daca foi revogado ilegalmente. A Polícia migratória ICE o colocou em um centro de detenção em condições desumanas e ele aceitou uma repatriação voluntária", contou.

Os "dreamers" pedem ao Congresso que vincule a aprovação da lei de imigração à lei de orçamento, que deve ser votada em 23 de março.

O presidente da Câmara de Representantes, o republicano Paul Ryan, não convocou nenhuma votação sobre o assunto. E como os tribunais de apelação provavelmente não decidirão sobre a questão antes do meio do ano e o caso pode acabar na Suprema Corte, o Congresso poderia aguardar até antes das legislativas de novembro.

Fonte: Redação - Brazilian Times

Top News